Xiaomi Poco F1: começa a partir de 329 euros, nossa prévia

A senha do Xiaomi Pocophone F1 é concretude. Um conceito repetido quase como um mantra durante o evento de apresentação para a Europa, que acabou de terminar em Paris. Imediatamente colocamos nossas mãos neste smartphone, potencialmente capaz de reescrever os saldos em seu segmento pertencente. Sim, porque a bordo existe o Snapdragon 845, o SoC de referência da Qualcomm, mas o preço do dispositivo começa em apenas 329 euros.

Primeiro de tudo, vamos come√ßar com o design. Xiaomi escolheu policarbonato para a concha, indo um pouco contra a corrente em compara√ß√£o com a tend√™ncia agora dominante de usar vidro e metal. A l√≥gica da empresa chinesa √© criar um produto que possa durar ao longo do tempo, menos sujeito a quebra ou rachaduras em caso de quedas acidentais. Obviamente, a sensa√ß√£o de toque em suas m√£os est√° longe dos dispositivos chamados “premium” (entre os quais podemos mencionar o mesmo Mi 8 e Mi Mix 2S), mas o produto parece muito s√≥lido.

Ele segura bem suas m√£os, n√£o escorrega e as molduras, embora estreitas, eles parecem suficientes para evitar toques acidentais na tela. H√° o entalhe, um detalhe est√©tico agora adotado pela Xiaomi tamb√©m em outros smartphones. No caso do Pocophone F1, parece bastante pronunciado, tamb√©m porque, al√©m de hospedar a c√Ęmera frontal de 20 MP, integra todos os componentes necess√°rios para o reconhecimento avan√ßado de faces (sensor infravermelho, proximidade etc …).

Leia também: Xiaomi Pocophone F1, Snapdragon 845 por 260 euros

Parênteses pequenos deste ponto de vista. O reconhecimento de rosto vai além com uma atualização de software, mas deve ser implementada ao longo do que já foi visto com o Xiaomi Mi 8 (que já lhe dissemos em nossa análise completa).

Discurso semelhante para o sensor biom√©trico posicionado na parte traseira: pode ser alcan√ßado bem com os dedos, parece r√°pido reconhec√™-los, mesmo que a implementa√ß√£o junto com a c√Ęmera traseira dupla possa causar algum toque involunt√°rio nos sensores. Novamente, reservamos qualquer considera√ß√£o final ao revisar.

A tela de 6,18 polegadas parece ser o painel LCD clássico já visto em muitos smartphones Xiaomi. Não faz um milagre gritar assim que você liga o dispositivo o brilho parece adequado mesmo que não seja muito alto, o vidro frontal parece conter um pouco demais. Estou convencido, no entanto, de que, no uso diário, será uma exibição absolutamente confiável, como tradição para a empresa chinesa.

DSC02143 JPG

A variante cromática em nossa posse é a chamada Azul de Aço. O Pocophone F1 também chegará ao mercado nas cores Vermelho Vermelho e Preto Grafite. Não se esqueça também da versão Armored Edition, com a contracapa em kevlar (será comercializada mais tarde). Uma capa de silicone macio sempre está incluída no pacote de vendas, além de considerar o já baixo preço de venda.

A parte do software merece uma menção especial. A bordo, existe o Android 8.1 Oreo, personalizado com o habitual MIUI 9.6. Nesse caso, no entanto, a Xiaomi aplicou um novo iniciador (Poco Launcher), que será disponibilizado na Play Store para todos os smartphones da empresa chinesa. A peculiaridade é a adição de uma gaveta para aplicativos, que pisca um pouco com a dos Pixels (pelo menos graficamente), permitindo uma melhor organização dos aplicativos.

DSC02109 JPG

A Xiaomi também falou sobre algoritmos específicos, capazes de acelerar significativamente a abertura de aplicativos (um vídeo de comparação com o Galaxy S9 foi mostrado). A primeira sensação é certamente a de um smartphone extremamente sensível, mas além disso é difícil esperar algo além de um dispositivo baseado no Snapdragon 845, juntamente com 6 GB de RAM. Vamos ver como ele se comportará no uso diário. Nota importante: será atualizado para o Android P no quarto trimestre de 2018.

Leia também: Xiaomi Redmi Note 5 avaliação, o assassino de gama média

Finalmente, a parte fotogr√°fica. Seria imprudente pensar em expressar um julgamento sobre isso, j√° que temos o Pocophone F1 conosco por algumas horas, mas j√° podemos antecipar a voc√™. Na parte traseira, h√° uma c√Ęmera vertical dupla com sensor principal de 12 MP (Sony IMX363, o mesmo visto no Mi 8 e Mi Mix 2S) acoplado a um secund√°rio de 5MP. As primeiras fotos parecem ter um bom padr√£o, mesmo que a intelig√™ncia artificial d√™ a impress√£o de intervir um pouco demais nas fotografias. Julgue por si mesmo, esperando aprofundar tudo nas pr√≥ximas semanas.

Vai demorar 329 euros para comprar o Pocophone F1 na vers√£o de 6 GB de RAM e 64 GB de armazenamento (expans√≠vel via micro-SD), que ser√° de 399 euros para a variante de 6/128 GB (ambos dispon√≠veis no mercado a partir de 30 de agosto). Mais uma vez, a Xiaomi conseguiu surpreender em termos de rela√ß√£o qualidade / pre√ßo. Obviamente, n√£o parece haver a mesma aten√ß√£o aos detalhes vistos, por exemplo, no Mi Mix 2S, mas, como foi dito no in√≠cio, a senha e a concretude. As condi√ß√Ķes para estar na frente de um potencial best-seller est√£o realmente l√°.


Tom’s Recommend

Xiaomi Redmi 5 Plus é um smartphone caracterizado por uma excelente relação custo / benefício. Equipado com o Snapdragon 625, juntamente com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento, está disponível para compra na Amazon menos de 200 euros. Você pode encontrá-lo neste link.