Xiaomi Mi 9T review: o novo assassino de gama média

Depois de abrir as reservas hoje √† meia-noite, o Mi 9T da Xiaomi saltou imediatamente para o topo do ranking de vendas da Amazon na categoria “eletr√īnica”. Isso √© suficiente para entender a grande expectativa em torno deste smartphone que, j√° no papel, prometeu ser mais uma compra da empresa chinesa. Sensa√ß√£o amplamente confirmada nos dias de hoje: estamos enfrentando o melhor dispositivo para comprar na faixa de pre√ßo entre 300 e 350 euros.

Estou convencido de que n√£o faz sentido apontar para a vers√£o de 128 Gigabytes de armazenamento, vendida por 399 ‚ā¨. Se, por um lado, a mem√≥ria interna n√£o √© expans√≠vel, por outro, a esse pre√ßo, ficaria muito perto do Mi 9 (posicionado a partir de 449 euros), o smartphone de primeira linha baseado no Snapdragon 855 e objetivamente superior ao modelo sobre o qual falaremos hoje. Em suma, √© certamente um dispositivo de gama m√©dia, mas capaz de oferecer uma experi√™ncia do usu√°rio n√£o muito longe dos dispositivos premium.

A √ļnica contra-indica√ß√£o real para a Xiaomi provavelmente √© representada pela confus√£o criada em seu cat√°logo. De fato, o Mi 9T se sobrep√Ķe ao Mi 9 SE (vendido por 349 euros), sem esquecer o mencionado Mi 9. Al√©m disso, o Redmi Note 7 j√° caiu baixo no segmento abaixo de 200 euros, tornando-o um dos smartphones mais vendidos de 2019. A empresa chinesa deve comece a receber algum pedido, principalmente para evitar confundir potenciais compradores.

Design e exibição, elementos complementares

O design do Mi 9T gira em torno de o mecanismo retr√°til da c√Ęmera frontal. De fato, o √ļltimo, uma vez selecionado pelo aplicativo espec√≠fico, sai automaticamente da borda superior. Uma solu√ß√£o j√° vista em outros smartphones, como o P Smart Z da Huawei ou o OnePlus 7 Pro, mas que, no caso do dispositivo Xiaomi, n√£o brilha em termos de velocidade: na verdade, leva alguns momentos para o sensor estar pronto – para exemplo – tirar uma selfie, e isso faz com que o imediatismo do uso perca um pouco.

No entanto, a empresa chinesa desenvolveu um mecanismo decididamente cenogr√°fico. De fato, a c√Ęmera frontal √© cercada por LEDs vermelhos, que acendem quando o sensor se projeta da borda superior e atuam como um LED de notifica√ß√£o quando est√£o fechados. Xiaomi fala de 300.000 vagas garantidas, a solu√ß√£o parece absolutamente s√≥lida, mas, como sempre nesses casos, √© imposs√≠vel poder expressar uma opini√£o sobre a durabilidade. Teremos a oportunidade de voltar a esse ponto nos pr√≥ximos meses.

De qualquer forma, gra√ßas √† c√Ęmera retr√°til, a parte frontal do Mi 9T √© ocupada quase inteiramente pela tela, que tamb√©m √© caracterizada por quadros reduzidos. √Č um painel AMOLED de 6,39 polegadas e resolu√ß√£o Full HD +, certamente um dos pontos fortes deste smartphone: ele pode ser visto perfeitamente ao ar livre, o brilho √© alto, os √Ęngulos de vis√£o excelentes, a reprodu√ß√£o de cores convincente. Ter essa tela dispon√≠vel nessa faixa de pre√ßo n√£o √© de forma alguma uma conclus√£o precipitada.

Há também a funcionalidade de exibição ambiente que permite, com o smartphone em modo de espera, visualizar a hora e a carga da bateria na tela. Além disso, a Xiaomi integrou o sensor biométrico diretamente no painel, o que funciona muito bem. De fato, a impressão é sempre reconhecida na primeira tentativa e o lançamento é praticamente imediato. Deste ponto de vista, a empresa chinesa continua aprimorando essa tecnologia e os resultados são tangíveis.

Quanto ao resto, o Mi 9T √© um smartphone que, em um n√≠vel construtivo, retorna sensa√ß√Ķes de alto n√≠vel. A concha √© feita de vidro, com uma textura “serrilhada” nas costas, pouco evidente na cor Carbon Black (retratada nas imagens), mas decididamente mais impactante nas outras duas varia√ß√Ķes de cor (Chama azul e vermelha da geleira) O dispositivo segura bem na m√£o, n√£o √© particularmente escorregadio, os bot√Ķes f√≠sicos (volume e pot√™ncia) s√£o alcan√ßados bem com os dedos.

O peso de 191 gramas √© talvez um pouco excessivo considerando a diagonal da tela e voc√™ pode ouvir tudo. No entanto, n√£o √© ut√≥pico pensar em us√°-lo com uma m√£o e a protrus√£o das tr√™s c√Ęmeras traseiras √© t√£o limitada que n√£o cria problemas em termos de ergonomia. De qualquer forma, a Xiaomi insere uma cobertura de policarbonato opaca na embalagem de vendas que, al√©m de eliminar essa protrus√£o, aumenta a ader√™ncia geral. Infelizmente, a certifica√ß√£o de impermeabiliza√ß√£o est√° ausente.

Desempenho próximo ao topo da linha, autonomia convincente

Fiquei muito curioso para testar o Snapdragon 730 da Qualcomm na vida cotidiana, o cora√ß√£o pulsante do Mi 9T. De fato, apenas um punhado de smartphones tem esse processador dispon√≠vel, pretendendo, na minha opini√£o, monopolizar a gama m√©dia. Na verdade, √© um SoC capaz de oferecer desempenho que, na maioria das √°reas, eles s√£o compar√°veis ‚Äč‚Äčaos do topo da faixa. Al√©m disso, neste smartphone, ele √© flanqueado por 6 Gigabytes de RAM, muito pouco a dizer sobre o desempenho (o armazenamento √© de 64/128 GB de partes, infelizmente n√£o √© expans√≠vel).

Particularmente eficaz é também a dissipação de calor, que praticamente nunca é percebida pelo toque no corpo traseiro. Com o benchmark AnTuTu, obtivemos 212.498 pontos, contra mais de 370.000 do topo da faixa atual (principalmente o OnePlus 7 Pro). Resultados alinhados com o grupo, mas que, de qualquer forma, não refletem a experiência diária real. O Mi 9T continua sendo um smartphone rápido e ágil em qualquer situação.

Tamb√©m gra√ßas √† otimiza√ß√£o de software usual. A bordo, existe o Android 9 MIUI 10 personalizado, uma interface que, na minha opini√£o, continua sendo uma das melhores da paisagem do rob√ī verde. O Mi 9T ser√° atualizado para o Android Q, mesmo que n√£o seja compat√≠vel com o Android Auto no momento. A esperan√ßa √© que a Xiaomi resolva esse aspecto em breve atrav√©s de uma atualiza√ß√£o.

Boas not√≠cias da autonomia. A bateria de 4.000 mAh, com meu uso (misturada entre LTE e Wi-Fi, 2 contas de email, centenas de notifica√ß√Ķes de redes sociais e aplicativos de mensagens instant√Ęneas, mais de 2 horas de chamadas telef√īnicas), me permitiu cobrir 26 horas longe da tomada el√©trica com mais de 5 horas de tela de acesso. Resultados que, com um uso mais moderado, tamb√©m permitiriam cobrir dois dias com uma √ļnica carga. Al√©m disso, h√° um carregamento r√°pido de 18W, completo com um carregador inclu√≠do na embalagem.

O setor de áudio não faz um milagre. O alto-falante mono possui um volume bastante alto, que distorce um pouco ao máximo e não oferece uma qualidade específica. Em média, a experiência de ligar e receber (há 20 bandas). Conectividade completa: Wi-Fi ac de banda dupla, Bluetooth 5.0, NFC, GPS A-GLONASS BDS Galileo, conector de áudio de 3,5 mm. Pena que a Xiaomi também não integrou o sensor infravermelho, geralmente presente nos smartphones da empresa chinesa.

Setor fotográfico, versatilidade, mas algumas dores de cabeça à noite

Na parte de tr√°s existem tr√™s sensores: a principal de 48 megapixels f / 1,75 (√© sempre a Sony IMX582), a segunda grande angular de 13 megapixels a 125 ¬į, a terceira lente telefoto de 8 megapixels, que permite um zoom √≥ptico de 2X gra√ßas √† dist√Ęncia focal diferente. A c√Ęmera frontal tem 20 megapixels com lente f / 2.2, e h√° excelentes not√≠cias tamb√©m em rela√ß√£o aos v√≠deos: eles podem ser gravados com resolu√ß√£o de 4K a 30 qps e tamb√©m o modo super c√Ęmera lenta em 960 fps.

Em que todos esses “n√ļmeros” se traduzem? Durante o dia, as fotos s√£o excelentes, √† noite, um pouco de ru√≠do digital assume, atenuado significativamente com o sensor principal de 48 megapixels, muito mais evidente com os outros dois sensores, especialmente com o grande angular. O modo noturno apropriado √© eficaz, embora torne as cores n√£o naturais e superexponha a ilumina√ß√£o artificial. Deste ponto de vista, n√£o est√° exclu√≠do que a Xiaomi fa√ßa corre√ß√Ķes com futuras atualiza√ß√Ķes.

Em geral, por√©m o setor fotogr√°fico convence completamente, especialmente considerando a faixa de pre√ßo em que o Mi 9T est√° inserido. Discurso semelhante para v√≠deos e fotos pela c√Ęmera frontal que, entre outras coisas, tem o modo retrato dispon√≠vel: o assunto √© efetivamente “recortado”, mesmo se houver alguma dificuldade na presen√ßa de tantos detalhes.

Conclus√Ķes: quem deve compr√°-lo?

O Xiaomi Mi 9T √© simplesmente o smartphone a que se refere caso voc√™ tenha um or√ßamento que n√£o exceda 350 euros. A experi√™ncia do usu√°rio oferecida √© de alto padr√£o, os poucos problemas cr√≠ticos n√£o comprometem seu uso e alguns recursos (tela AMOLED, Snapdragon 730, 6 Gigabyte de RAM e c√Ęmera traseira tripla) s√£o incompar√°veis ‚Äč‚Äčneste segmento. Ele chega ao mercado em duas vers√Ķes (64/128 Gigabytes de mem√≥ria), e eu pessoalmente recomendo a compra da variante b√°sica, posicionada em 329 euros (somente hoje, 19 de junho, a 299 euros).

Como dito na abertura, de fato, o √ļnico problema real deste dispositivo √© representado pela confus√£o que caracteriza a linha Xiaomi: Redmi Note 7, Mi 9 SE, Mi 9 SE, Mi 9T, Mi 9. Todos os produtos inclu√≠dos na faixa de 250 euro, com os tr√™s √ļltimos muito parecidos entre si em n√≠vel t√©cnico. Em resumo, a empresa chinesa deve otimizar seu cat√°logo, mas isso n√£o muda a opini√£o do smartphone de hoje: estamos diante de uma nova melhor compra.