WikiLeaks: Como a CIA violou o iPhone e o Macbook

maçã

O WikiLeaks divulgou recentemente documentos que revelam várias maneiras pelas quais a CIA pode infringir seu telefone celular, computador ou TV inteligente.

Desta vez, ele publica um segundo lote de documentos, que ele chama de Dark Matter. Isso mostra que a CIA possui malware capaz de acessar facilmente o seu iPhone ou MacBook.

Uma das ferramentas da CIA é chamada Chave de fenda sônica e afeta computadores Mac através de um adaptador Thunderbolt-Ethernet. O adaptador pode afetar mais de um computador, se usado em mais de um dispositivo. Você não precisa fazer nada específico, pois o algoritmo penetra automaticamente no dispositivo quando o adaptador está conectado.

O software atinge o núcleo do sistema, é extremamente difícil de localizar e remover. A chave de fenda sônica é comparada ao bug chamado Thunderstrike 2, que foi descoberto em Macs há 2 anos.

As outras duas ferramentas da CIA são Triton e Der Starke, e são usados ​​para obter acesso remoto aos dados do computador. Os computadores podem ser usados ​​em qualquer lugar do mundo e ter acesso a todos os arquivos e pastas armazenados. Quando instalado no computador, é quase impossível remover o malware e permanece lá mesmo após a reinstalação do macOS.

Nos documentos, o Wikileaks também revela a ferramenta NightSkies, que afetou o iPhone 3G e iOS 2.1. O malware deu ao governo acesso a muitas informações contidas no smartphone, além da capacidade de executar comandos remotos.

Essas ferramentas são bastante antigas, mas a questão é: a CIA as atualizou para trabalhar com versões modernas do sistema operacional?

Fonte