WhatsApp, Facebook e Instagram: a unificação está se aproximando

Os planos de Mark Zuckerberg para unificar WhatsaApp, Facebook e Instagram continuam. Nas √ļltimas horas, de fato, novos detalhes surgiram pelo desenvolvedor italiano Alessandro Paluzzi, que conseguiu encontrar novas pistas no c√≥digo das vers√Ķes beta relativas √† integra√ß√£o das tr√™s aplica√ß√Ķes populares da gigante de Menlo Park.

As informa√ß√Ķes atualmente dispon√≠veis s√£o escassas. O projeto √© de fato t√£o ambicioso quanto complexo, tanto do ponto de vista t√©cnico quanto no que diz respeito √† privacidade. Um tema sobre o qual o Facebook deve ter muito cuidado, ap√≥s perder a confian√ßa do usu√°rio ap√≥s o esc√Ęndalo da Cambridge Analytica. Mark Zuckerberg h√° muito tempo expressa sua vontade de unificar os tr√™s aplicativos de mensagens, mas nenhum detalhe de tempo foi divulgado.

Paluzzi descobriu uma nova entrada na versão beta do Instagram: Obter o Messenger no Instagram. Isso significa que pode ser possível enviar mensagens do Instagram para contatos no Facebook Messenger e vice-versa. Na verdade, esse é o projeto de Mark Zuckerberg: oferecer a possibilidade de enviar mensagens entre as diferentes plataformas sem a necessidade de registro. Em outras palavras, uma conta do Instagram pode enviar uma mensagem para uma conta do Facebook não registrada no Instagram.

As pistas tamb√©m dizem respeito ao WhatsApp. Aparentemente, o Facebook est√° trabalhando na cria√ß√£o de um banco de dados local que permita ao Messenger obter algumas informa√ß√Ķes do WhatsApp, como contatos bloqueados, som de notifica√ß√Ķes, bate-papos arquivados, n√ļmero de telefone etc. No entanto, ele n√£o seria capaz – pelo menos por enquanto – de acessar o conte√ļdo das mensagens, membros de um grupo e fotos de perfil.

Isso n√£o quer dizer que o WhatsApp j√° esteja coletando informa√ß√Ķes para criar o banco de dados. Este √ļltimo s√≥ come√ßar√° a operar e se a integra√ß√£o se tornar realidade. Por fim, n√£o sabemos se esse banco de dados ser√° carregado no servidor do Facebook para salv√°-lo em outros dispositivos ou n√£o. Tamb√©m resta saber se o usu√°rio ser√° capaz de desativar tudo isso e n√£o dar o seu consentimento para ser encontrado no Instagram ou no Facebook. Uma possibilidade semelhante provavelmente ser√° dada ao usu√°rio, mas no momento n√£o podemos saber.

Em suma, as perguntas ainda s√£o muitas. O plano de Zuckerberg parece continuar. N√≥s apenas temos que esperar e entender se algum dia ser√° revelado ou se – por v√°rias raz√Ķes – ser√° abandonado pelo gigante de Menlo Park.