Vendas de Apple e iPhone aumentam 6% na China

Remessas de Os iPhones na China registraram um aumento de 6% nos meses de setembro e outubro. É isso que emerge dos dados oficiais divulgados pelo governo chinĂȘs em relação aos envios gerais para o PaĂ­s do DragĂŁo. O crĂ©dito provavelmente vai para a mais recente adição Ă  Apple, o iPhone 11. A gigante de Cupertino viu suas remessas chinesas crescerem enquanto as remessas gerais no mercado em questĂŁo sofreram um declĂ­nio geral.

A Academia de Tecnologia da Informação e ComunicaçÔes da China (CAICT) pode rastrear o nĂșmero de smartphones enviados ao paĂ­s, pois os fabricantes sĂŁo obrigados a divulgar os dados para obter permissĂ”es. Embora a China nĂŁo revele os dados de vendas de cada produtor individual, a Bloomberg foi suficiente para subtrair do nĂșmero total de embarques aquele relacionado a Smartphone Android para finalmente obter os dados no iPhone. O cĂĄlculo foi, portanto, simples.

A Bloomberg relata que Apple enviou 10 milhĂ”es de iPhones para a China nos Ășltimos dois meses. Esses dados confirmam que as vendas da Ășltima geração do iPhone 11 estĂŁo progredindo melhor que a geração anterior. Como jĂĄ foi dito no inĂ­cio, a empresa norte-americana conseguiu se sair bem no momento em que o total de remessas no mercado chinĂȘs sofreu, na realidade, uma queda de 5%, para 69,3 milhĂ”es de unidades.

De acordo com Nicole Peng, analista da Canalys, o preço mais baixo do iPhone 11 comparado ao iPhone Xr foi um fator importante no aumento das remessas chinesas de smartphones da Bitten Apple. No entanto, ainda existem desafios importantes a serem enfrentados na China para a Apple, que continuarão a enfrentar o surgimento de marcas locais como Huawei e Xiaomi. O maior desafio, então, serå disponibilizar serviços de assinatura (Apple Music, Apple Tv + e Apple Arcade) também na China, onde eles não estão presentes no momento.