Vazaram Securus 70 milhÔes de chamadas de prisioneiros para os EUA

Os dados divulgados pela Securus, empresa de serviços telefÎnicos cuja plataforma é usada por mais de 1,2 milhão de detidos nos EUA, mostram que a empresa registrou e armazenou chamadas entre detidos e advogados. O vazamento traz à tona questÔes relativas ao privilégio da comunicação segura entre advogado e cliente.prisão Securus

Segundo a Intercept, foram divulgados arquivos (via SecureDrop) contendo 70 milhÔes de ligaçÔes telefÎnicas de detidos, incluindo pelo menos 14.000 ligaçÔes para advogados.

Os registros indicam os nomes dos detidos, os nĂșmeros de telefone para os quais ligaram, a data, a hora e a duração dessas ligaçÔes. Eles tambĂ©m continham um link para baixar o arquivo de ĂĄudio de cada chamada.

As chamadas de presos americanos (e além) geralmente são registradas e monitoradas. Segundo a Securus, os dados são protegidos e acessíveis apenas ao pessoal autorizado da aplicação da lei, como policiais e promotores.

No entanto, a Sexta Emenda concede a todos os detidos o direito de falar livremente com seus advogados, sem registrar suas ligaçÔes. É aĂ­ que começam os problemas, pois entre os 70 milhĂ”es de ligaçÔes, 14.000 sĂŁo chamadas a advogados.

A empresa, por outro lado, alega que “nĂŁo hĂĄ absolutamente nenhuma evidĂȘncia” de conversas entre advogados e detidos, que foram registradas sem o consentimento de ambas as partes.

No entanto, essa violação destaca duas questĂ”es principais, a primeira Ă© que os sistemas da Securus nĂŁo sĂŁo tĂŁo bem protegidos quanto a empresa alega, e a segunda Ă© que o sistema atual para obter ligaçÔes de advogados – os detidos nĂŁo Ă© estanque.