Uma organização criminosa foi presa por fraude com um computador contra uma Fundação Bancária Grega

SEDE DA POL√ćCIA GREGA

Atenas, 10 de abril de 2013

COMUNICADO DE IMPRENSA

O Servi√ßo de Pol√≠cia Econ√īmica e Minist√©rio P√ļblico para o Crime Cibern√©tico foi desmantelado por uma organiza√ß√£o criminosa envolvida em fraude inform√°tica contra uma Institui√ß√£o Banc√°ria grega.

Foi aberto um processo contra (8) pessoas, enquanto a participação de outras 38 pessoas na Grécia e no exterior está sendo investigada.

Com ataques de phishing eletr√īnico aos nomes e senhas dos usu√°rios (tipo de phishing), os envolvidos obtiveram acesso a contas online e realizaram transa√ß√Ķes online.

O montante da perda financeira sofrida pelo Banco est√° sendo investigado

cyber_crime

Ele foi desmontado pela Polícia Financeira e pelo Serviço de Promotoria do Crime Cibernético, uma organização criminosa envolvida em fraude informática contra uma instituição bancária grega.

Foi instaurado um processo contra oito pessoas (um nativo de 41 anos, dois nacionais romenos, com 29 e 38 anos, respectivamente, e cinco outros estrangeiros) por acusa√ß√Ķes de organiza√ß√£o criminosa, fraude inform√°tica e viola√ß√£o da lei de privacidade. dados. Ao mesmo tempo, est√° sendo investigado o envolvimento nos crimes acima mencionados de outras (38) pessoas em v√°rias √°reas da Gr√©cia e do exterior.

O motivo da investiga√ß√£o do caso foi uma den√ļncia √† Subdiret√≥ria de acusa√ß√£o de crimes cibern√©ticos, por ataques de espionagem de nomes e senhas de usu√°rios (tipo phishing), que foram realizados contra o Banco por usu√°rios desconhecidos da Internet.

Com esses ataques eletr√īnicos, os autores conseguiram acessar as contas e, em seguida, realizaram v√°rias transa√ß√Ķes eletr√īnicas, como transfer√™ncias banc√°rias, pagamento de contas de servi√ßos p√ļblicos e contribui√ß√Ķes de seguros, renova√ß√£o do tempo de conversa√ß√£o por telefone celular e retirada de dinheiro da AT. M.

As transa√ß√Ķes foram realizadas por meio de conex√Ķes √† Internet em nosso pa√≠s e no exterior (Rom√™nia, Alemanha, Reino Unido), e com esse m√©todo o Banco causou danos financeiros, cuja quantia est√° sendo investigada.

Atrav√©s da investiga√ß√£o policial digital – an√°lise dos dados, por pessoal especializado da acusa√ß√£o de crimes cibern√©ticos, em combina√ß√£o com o levantamento do sigilo das comunica√ß√Ķes (dentro dos parlamentos relevantes do Minist√©rio P√ļblico de Atenas), emergiu que (79) transa√ß√Ķes “fraudulentas” foram realizadas. do Banco, enquanto foram identificados os dados de (23) usu√°rios da Internet, que se diz ter se beneficiado dessas transa√ß√Ķes.

Indicativamente, o cidad√£o de 41 anos, juntamente com um estrangeiro, que tamb√©m est√° inclu√≠do no processo, tentou pagar contas de servi√ßos p√ļblicos, no valor de 12.000 euros, bem como contribui√ß√Ķes de seguros de um parente dele, no valor de 3.000 euros. Al√©m disso, os dois romenos conseguiram sacar dinheiro dos caixas eletr√īnicos. Banco, usando c√≥digos, via internet, em mensagens SMS.

Durante as buscas em Thessaloniki e Alexandroupolis, dois (2) discos rígidos de computadores e um dispositivo modem-roteador foram encontrados e confiscados, os quais foram enviados aos laboratórios forenses para exame mais aprofundado.

O processo ser√° submetido ao Minist√©rio P√ļblico de Atenas.