Tóquio 2020: medalhas olímpicas feitas a partir de smartphones

Tóquio substituiu o Rio e está se preparando para os Jogos Olímpicos de 2020 com o primeiro-ministro japonês fazendo uma aparição épica na cerimônia de encerramento como Super Mario. Esperamos muito de Tóquio e as primeiras informações já começaram.

De acordo com o jornal japonês Nikkei, os organizadores, para fazer as medalhas que serão concedidas aos atletas, adquirirão as matérias-primas – ouro, prata, cobre – a partir de materiais recicláveis ​​encontrados em milhões de smartphones inúteis e outras peças de dispositivos eletrônicos. Todos os três metais preciosos são usados ​​em várias partes de dispositivos eletrônicos devido à sua condutividade e fácil moldagem.

Para as necessidades dos Jogos Olímpicos, os requisitos para metais preciosos não serão pequenos. Indicativamente, em Londres 2012, 9,6 kg de ouro, 1210 kg de prata e 700 kg de cobre eram necessários para as medalhas olímpicas. Esses números não assustam os japoneses, que em 2014 conseguiram coletar 143 quilos de ouro, 1566 quilos de prata e 1112 toneladas de cobre de lixo eletrônico.

Um fato interessante é que a quantidade de ouro e prata encontrada no lixo eletrônico do Japão representa 16% e 22% do total das reservas mundiais.

Todos os anos no Japão, 650.000 toneladas de pequenos eletrodomésticos e eletrônicos saem do lixo e estima-se que o país colete apenas 100.000 toneladas. Metais reciclados são comumente usados ​​para fazer novos dispositivos.

reciclar-smartphones