Todo mundo “mostra” Papakonstantinou – Os fatos que “queimam” o ex-ministro

1850844_492_355 РOs parentes de G. Papakonstantinou sabiam da lista antes de ele vir para a Grécia

РUSB só tinha 2.059 nomes quando chegou ao SDOE

РO que a acusação de crimes cibernéticos pode provar?

2.062 pessoas na Grécia aprenderam sobre a infame lista de Lagarde muito antes de o ministério das finanças tomar conhecimento do caso de alto nível.

Eles n√£o s√£o outros sen√£o os pr√≥prios depositantes do HASBC Bank na Su√≠√ßa, que foram informados pelo pr√≥prio banco sobre o roubo de seus dados j√° em 2010 e v√°rios meses antes das autoridades gregas serem informadas de que havia informa√ß√Ķes relevantes no “mercado”. Antes de Christine Lagarde informar a Ministra das Finan√ßas da Gr√©cia de que ela poderia obter suas informa√ß√Ķes confidencialmente, as pr√≥prias partes interessadas sabiam disso.

Os dois primos e o genro de G. Papakonstantinou foram, portanto, informados muito antes dele sobre o roubo dos dados do banco suíço.

Muitos consideram esse fato um dos fatos que prejudicam a posição do ex-ministro e consideram inconcebível que o ministro não saiba que os detalhes de seus parentes mais próximos estariam nos arquivos enviados pelo governo francês, desde que os receberam. que eles já haviam sido informados.

Aqui eles acrescentam significativamente a quantia de mais de um milh√£o de d√≥lares encontrados em uma conta, al√©m da posi√ß√£o no setor p√ļblico de um dos primos do ex-ministro, mas tamb√©m a venda de sistemas de armas na Marinha pelo marido do outro.

Numa √©poca em que a busca por quem estava enviando dinheiro para a Su√≠√ßa havia come√ßado, dizem com significado, pense no alvoro√ßo com a divulga√ß√£o dessas informa√ß√Ķes.

Dessa maneira, alguns “justificam” a mudan√ßa para remover os nomes fotografando diretamente G. Papakonstantinou.

Ao mesmo tempo, outro elemento √© enfatizado. O ex-ministro diz que entregou o arquivo a um colega para fazer uma “limpeza”.

Deste “esclarecimento” emergiram os aproximadamente 20 nomes dos principais depositantes que, em seguida, passaram a controlar o ent√£o chefe da SDOE I. Kapeleris.

Aqui est√£o algumas perguntas importantes.

O colaborador do ministro n√£o recorreu aos nomes dos parentes de G. Papakonstantinou?

A quantia de 1.222.000 não é um grande depósito. dólares;

√Č claro que foi assim que ele caiu nos nomes e o ministro foi informado, que afirma que n√£o viu os arquivos no CD ou que n√£o caiu nos nomes porque, simplesmente, no dispositivo USB que seu colega G. Papakonstantinou pegou nas m√£os; os nomes foram removidos e n√£o existiam …

Ent√£o, o parceiro identificou os nomes ou n√£o?

Desconhecido.

Os nomes também não deveriam ter sido incluídos nos nomes de I. Kapeleris, como o caso já teria sido esclarecido.

Assim, algumas pessoas concluem que nem o colaborador viu os nomes dos parentes de G. Papakonstantinou, nem o chefe da SDOE, pois os nomes n√£o foram copiados para USB do CD.

Ent√£o, algumas pessoas fotografam diretamente G. Papakonstantinou novamente.

Ou seja, ele n√£o transferiu todos os nomes para o USB removendo os nomes de seus parentes do arquivo original.

Aqui, alguns lembram que o ministro n√£o esclareceu quem fez a transfer√™ncia para o “bast√£o”. Ele n√£o disse se √© um colaborador ou ele pr√≥prio.

O pr√≥prio ex-ministro diz, citando o bom senso, que seria pelo menos tolo remover apenas os nomes de seus parentes. Ele deve “esconder suas trilhas” excluindo muitos outros nomes.

E aqui alguns são contraditórios. A busca por remessas para o exterior já começou, dizem eles, mas também o esforço para cooperar com a Suíça.

O que aconteceria se outros dados viessem da Suíça e, em uma possível comparação, esses nomes estivessem ausentes? Não seria iniciada uma nova auditoria que terminaria no mesmo local novamente?

Todas as indica√ß√Ķes s√£o de que, se os nomes foram removidos, n√£o no USB, mas antes das investiga√ß√Ķes dos especialistas em crimes cibern√©ticos, s√≥ √© poss√≠vel mostrar quando e provavelmente de qual computador, nada mais.

No entanto, alguns consideram importante quando e de qual computador, à medida que o ciclo diminui, sobre quem transferiu os dados para lá que parecem ter sido transferidos alterados.

Fonte: newsit.gr