TIM e funcionários roubam dados de clientes para revendê-los: 20 medidas de precaução

A opera√ß√£o ‚ÄúSala de dados‚Äú, coordenado pelo Minist√©rio P√ļblico de Roma e conduzido pelo CNAIPIC da Pol√≠cia Postal, com a colabora√ß√£o dos compartimentos de N√°poles, Perugia, Ancona e Roma, trouxe √† tona a comportamento irregularidade de alguns funcion√°rios TIM e outras pessoas envolvidas que, inserindo os bancos de dados operador, eles ficaram na posse de informa√ß√Ķes confidenciais do cliente queixaram-se de desservi√ßo com o objetivo de revend√™-los para call centers.

Os call centers utilizaram as informa√ß√Ķes obtidas para entre em contato com clientes insatisfeitos, para oferecer-lhes uma mudan√ßa de operador e, assim, obter comiss√Ķes previsto para cada novo contrato: fala-se em um m√°ximo de 400 euros por contrato, para uma cole√ß√£o total de dezenas de milhares de euros por m√™s. A investiga√ß√£o levou at√© agora 13 pessoas sob pris√£o domiciliar, enquanto outras sete foram for√ßadas a permanecer. H√° tamb√©m outros 6 suspeitos. Todas as pessoas est√£o ligadas ao territ√≥rio de Roma e a v√°rias prov√≠ncias da Camp√Ęnia.

No geral, falamos sobre o 1,2 milh√£o de roubo de dados. As pessoas envolvidas s√£o responsabilizadas por acesso abusivo a um sistema de computador, deten√ß√£o abusiva e dissemina√ß√£o de c√≥digos de acesso, no que diz respeito aos sistemas de conduta de interesse p√ļblico e da viola√ß√£o da lei de privacidade nas comunica√ß√Ķes e divulga√ß√£o ilegal de dados pessoais sujeitos a tratamento em larga escala.

Tudo come√ßou de um Reclama√ß√£o TIM, que desde o in√≠cio de 2019 havia encontrado ‚Äúacesso abusivo repetido a data centers em uso pelas operadoras de telefonia que operam no territ√≥rio nacional e gerenciado diretamente pela TIM, contendo ordens de servi√ßo de entrega e reclama√ß√Ķes de garantia provenientes de relat√≥rios de usu√°rios relacionados a interrup√ß√Ķes da rede de telecomunica√ß√Ķes ‚Äú.

Al√©m de funcion√°rios infi√©is, as medidas envolvem intermedi√°rios que gerenciavam o com√©rcio il√≠cito de dados obtido das bases de dados e propriet√°rios de call center que usaram as informa√ß√Ķes para coletar comiss√Ķes sobre novos contratos. Segundo o CNAIPIC, os t√©cnicos ficaram com os dados ‚Äúpor meio de contas ou desktops virtuais usados ‚Äč‚Äčpor funcion√°rios de prestadores de servi√ßos de telefonia e empresas parceiras para acessar bancos de dados‚ÄĚ, sendo o acesso frequentemente roubado de maneira fraudulenta.

Havia uma rede comercial vinculada a um Empres√°rio da Camp√Ęnia que fez bom uso do ‚Äúesp√≥lio‚ÄĚ, e que tamb√©m foi capaz de extrair diretamente, usando software ad hoc (capaz de consultar e extrair dados do banco de dados), grandes quantidades de informa√ß√Ķes gra√ßas √†s credenciais roubadas de funcion√°rios ilegais de maneira il√≠cita. Os dados obtidos foram ent√£o vendidos para os call centers ‚Äď 13 deles foram identificados por enquanto ‚Äď por um valor em torno de 7 mil euros para 70.000 dados.

Os dados em si, limpos para serem utilizados pelos v√°rios call centers, passado de m√£o em m√£o, revendido a pre√ßos reduzidos com base no ‚Äúfrescor‚ÄĚ dos dados em si. As investiga√ß√Ķes revelaram que o marketing de dados estava se expandindo para outros setores, como o setor de energia.

‚ÄúA TIM deseja expressar seus mais sinceros agradecimentos √† Autoridade Judici√°ria e √† Pol√≠cia Estadual ‚Äď Pol√≠cia de Correios e Comunica√ß√Ķes ‚Äď por concluir com √™xito a investiga√ß√£o da divulga√ß√£o e com√©rcio abusivo de dados pessoais e n√ļmeros de telefone de clientes ‚Äú, l√™ uma nota da empresa .

‚ÄúGra√ßas √†s medidas adotadas pelo juiz investigador do Tribunal de Roma, um assunto s√©rio que a TIM havia denunciado ao Minist√©rio P√ļblico de Roma h√° um ano, ap√≥s uma investiga√ß√£o interna cuidadosa. Seguindo as medidas decididas pelo judici√°rio, a TIM imediatamente procedeu √† medidas disciplinares contra o pessoal envolvido e uma parte civil ser√° criada no processo como uma parte lesada ‚Äú.

‚ÄúOs fatos sob investiga√ß√£o h√° muito representam um fen√īmeno s√©rio que causa danos significativos n√£o apenas ao Grupo, mas a todo o setor de telecomunica√ß√Ķes, alterando as regras da livre concorr√™ncia. A TIM finalmente especifica que, al√©m de ter colaborado ativamente com os investigadores no durante todo o per√≠odo da investiga√ß√£o, enviou relat√≥rios sobre o assunto √† Agcom, a fim de proteger melhor seus clientes ‚Äú.