TikTok sob investigação nos Estados Unidos: pode representar uma ameaça à segurança nacional

Agora cabe ao TikTok. Conforme relatado pela Reuters, a rede social – que est√° literalmente despovoando entre os mais jovens – acabou na mira do governo dos EUA. O Comit√™ de Investimento Estrangeiro dos EUA est√° de fato verificando se o aplicativo, liderado pela gigante chinesa ByteDance, representa ou n√£o um perigo para os dados dos cidad√£os com estrelas e listras. Uma situa√ß√£o que faz parte do conflito comercial mais amplo com a China, que j√° reivindicou excelentes “v√≠timas”.

O ByteDance saltou rapidamente para as manchetes quando, em novembro de 2017, adquiriu a Musical.ly por aproximadamente US $ 1 bilh√£o. Para explorar a popularidade desse aplicativo entre adolescentes europeus e americanos, a gigante chinesa decidiu fundi-lo com o TikTok, criando assim uma √ļnica rede social capaz de superar o Instagram, Facebook e YouTube por n√ļmero de downloads: de fato, se fala em 750 milh√Ķes nos √ļltimos 12 meses, uma enormidade.

A opera√ß√£o por tr√°s do TikTok √© extremamente simples, e provavelmente √© isso que conquistou os adolescentes. A rede social oferece a oportunidade de criar e compartilhar v√≠deos musicais curtos na reprodu√ß√£o, uma esp√©cie de Instagram com base em v√≠deos, em resumo. Precisamente em torno desse mecanismo, levantaram-se as preocupa√ß√Ķes dos senadores americanos Chuck Schumer e Tom Cotton, que apontaram o dedo para os m√©todos de tratamento de dados de usu√°rios operados pela ByteDance.

De fato, este √ļltimo declarou armazenar os dados de usu√°rios americanos apenas nos Estados Unidos, mas ainda seria obrigado a se referir √†s leis chinesas. Da√≠ a acusa√ß√£o, tudo a ser demonstrado, √© claro, que o TikTok pode de alguma forma representar uma amea√ßa √† seguran√ßa nacional, realizando atividades de espionagem do governo. Uma situa√ß√£o muito semelhante √† da Huawei e da ZTE, que pudemos descrever v√°rias vezes atrav√©s das p√°ginas do hardware de Tom.

ByteDance, após o início da investigação, no entanto, interveio no assunto com uma nota oficial, esclarecendo alguns aspectos. Primeiro, ele especificou como o TikTok não está ativo na China, onde há o aplicativo irmão Douyin. Em segundo lugar, ele esclareceu como os dados de usuários dos EUA são gerenciados nos EUA com backups em Cingapura, para que todos os data centers estejam localizados fora do território chinês (portanto, nenhuma informação estaria sujeita à lei chinesa). De qualquer forma, há uma promessa de colaboração total com o Congresso.

As investiga√ß√Ķes v√£o esclarecer a situa√ß√£o. De acordo com o New York Times, no entanto, o governo dos Estados Unidos j√° teria evid√™ncias do envio real de dados da ByteDance para a China. De qualquer forma, a batalha pela supremacia tecnol√≥gica entre os dois gigantes mundiais continua, e tudo isso poderia representar apenas o d√©cimo terceiro cap√≠tulo de um evento destinado a dar reviravoltas tamb√©m nos pr√≥ximos meses.