Suécia: a polícia está desenvolvendo seu próprio spyware

Sim e spyware da polícia: a polícia sueca anunciou novas técnicas para combater o crime esta semana. Uma delas é a capacidade de desenvolver spywares spywares em dispositivos suspeitos.

Este software ter√° como objetivo bloquear as comunica√ß√Ķes criptografadas e ativar microfones e c√Ęmeras.spyware

A decisão foi anunciada pelo ministro do Interior da Suécia, Mikael Damberg, em entrevista coletiva na terça-feira (22 de outubro).

As novas capacidades técnicas que a polícia sueca adquirirá fazem parte de um plano de 34 pontos para aprimorar a aplicação da lei para investigar gangues ou crimes violentos.

Damberg disse que fornecer essas t√©cnicas √† pol√≠cia para interromper as comunica√ß√Ķes criptografadas era uma das principais prioridades, pois eles n√£o podiam monitorar grupos criminosos que frequentemente usam servi√ßos como Signal e WhatsApp para coordenar suas opera√ß√Ķes.

Segundo o ZDNet, o ministro disse √† imprensa local [1, 2, 3, 4] que 90% de todas as comunica√ß√Ķes que a pol√≠cia tentou monitorar nas investiga√ß√Ķes nos √ļltimos anos foram criptografadas.

Spyware em vez de backdoors em criptografia

Mas, diferentemente de países como a Austrália, onde o governo local aprovou uma lei obrigando as empresas de tecnologia a recuperar a criptografia, a polícia sueca seguirá outra rota Рtambém conhecida como rota alemã.

Mais de uma década atrás, as autoridades alemãs começaram a desenvolver malware chamado Bundestrojaner (Trojan Federal).

O plano da pol√≠cia sueca √© semelhante, pois planeja desenvolver programas maliciosos com recursos de spyware em dispositivos suspeitos. Isso os ajudar√° a ouvir chamadas de √°udio criptografadas ou assistir a v√≠deos em tempo real. Eles tamb√©m poder√£o exportar logs de bate-papo de aplicativos criptografados de mensagens instant√Ęneas.

Ainda n√£o se sabe o que ele far√° depois de deixar o cargo. Eles podem criar software malicioso ou compr√°-lo de terceiros. A √ļltima op√ß√£o tamb√©m √© a mais popular em servi√ßos de aplica√ß√£o da lei em todo o mundo e existe um mercado crescente de empresas que vendem ferramentas de hackers como ferramentas leg√≠timas de vigil√Ęncia para servi√ßos de aplica√ß√£o da lei.

Os novos recursos devem entrar em vigor em 1¬ļ de mar√ßo de 2020. Segundo Damberg, a pol√≠cia s√≥ poder√° us√°-los se o crime for pun√≠vel por quatro anos ou mais.