“Sonho anĂ´nimo” Ă© o anonimato dos consumidores na Internet

Google, Facebook, comScore e Quantcast estavam entre os principais destinatários de nomes de usuário e informações de identidade do usuário.

Os consumidores sĂŁo menos anĂ´nimos do que pensam quando navegam na Internet, de acordo com uma pesquisa divulgada na terça-feira que provocou novas reações – solicita configurações para “nĂŁo rastrear” (configurações que protegem os rastros e dados do usuário).

Mais da metade dos sites, um total de 185 – com tráfego intenso, “compartilha” o nome ou a identidade do usuário com outro site, <…>

refere-se a pesquisas conduzidas pelo Laboratório de Segurança Digital da Universidade de Stanford.

Google, Facebook, comScore e Quantcast estavam entre os principais destinatários de nomes de usuário e informações de identidade do usuário. Ao mesmo tempo, o presidente da FCC (ComissĂŁo Federal de Telecomunicações dos EUA) disse que a investigação ajudaria os esforços da comissĂŁo para proteger a privacidade dos consumidores on-line e remover os chamados “cyberazzi”: aqueles envolvidos em publicidade comportamental e coleta de dados. para manter os consumidores sob controle (como os famosos ‘paparazzi’).

O presidente da FCC tambĂ©m disse que qualquer site que visitamos na Internet se refere a empresas de marketing que, por sua vez, compõem o perfil do comportamento on-line dos usuários. Em uma pesquisa preliminar publicada no ano passado, a FCC apoiou a criação de uma opção “nĂŁo rastrear”, em um esforço para limitar a intervenção de coleta de dados entre consumidores e anunciantes.

“Muitas vezes os desenvolvedores nĂŁo pensam em dados pessoais e, infelizmente, Ă© verdade que as informações vazam para terceiros. Acho que precisamos entender que Ă© assim que a Internet funciona “, disse Mayer, formado em Stanford.

Entre as descobertas, Ă© relatado que, quando alguĂ©m se inscreve no site da NBC, “compartilha” seu endereço de e-mail com outras 7 empresas e, ao mesmo tempo, segue um anĂşncio local no site da Home Depot, as mesmas informações foram enviadas para 13 empresas.

E enquanto várias organizações nĂŁo-governamentais sĂŁo a favor da lista de “nĂŁo rastrear” há anos, diz-se que a FTC nĂŁo tem intenção de interromper a publicidade comportamental, mas, no mĂ­nimo, de favorecer algumas escolhas dos consumidores.

Fonte: portal.kathimerini.gr