Smartphones Android, novas regras de ferro impostas pelo Google

Google quer fazer isso a experiĂȘncia com o Android mais uniforme e consistente. Por esse motivo, a empresa publicou recentemente uma nova versĂŁo do documento “Definição de compatibilidade com Android“, que descreve as regras que os fabricantes do Android devem ou devem seguir.

O novo documento fala, por exemplo, de carga rĂĄpida. O Google “recomenda fortemente” que os fabricantes de dispositivos eles nĂŁo impĂ”em padrĂ”es proprietĂĄrios, como o Quick Charge 3.0 da Qualcomm. O objetivo da empresa nĂŁo Ă© incomodar a Qualcomm, mas garantir a interoperabilidade entre tecnologias e carregadores de bateria. Por outro lado, com a afirmação do USB C como um conector de carregamento e troca de dados, as solicitaçÔes do Google parecem mais do que naturais.

nougat do google

O documento também fala de ExtensÔes Android. Segundo os colegas da Arstechnica, seria um sistema através do qual o Google gostaria de enviar APIs diretamente do Android Open Source Project. Em poucas palavras um sistema semelhante àquele com o qual a empresa atualiza o Google Play Services, sem passar pelo longo processo de atualização do Android.

O objetivo seria, portanto, trazer mais novidades sobre o sistema operacional sem ter que passar pelo processo normal de atualização, muitas vezes desacelerado por operadores e fabricantes.

A casa em Mountain View tambĂ©m visa expandir o uso do modo multi janela, que veio com o Nougat, mas que alguns fabricantes – Samsung e LG, para citar alguns – haviam anteriormente promovido de maneira proprietĂĄria. No documento, o Google exige que todos os fabricantes sigam a abordagem apresentada com a versĂŁo mais recente do Android.

Todos os fabricantes devem entĂŁo implementar algum tipo de bloqueio de chamadas, incluindo uma ferramenta para ajudĂĄ-lo a gerenciar quais chamadas foram bloqueadas. Finalmente, o documento confirma que o Nougat nĂŁo exige um chip compatĂ­vel com a API Vulkan para funcionar.