Smartphones, adeus √†s c√Ęmeras salientes?

O setor fotogr√°fico tornou-se agora um elemento importante na mercado de smartphones. O grande jogo tamb√©m √© jogado no campo da performance fotogr√°fica. Basta pensar no zoom perisc√≥pico do Huawei P30 Pro ou nos v√°rios modos noturnos desenvolvidos pelos fabricantes. Com o tempo, o n√ļmero de c√Ęmeras aumentou, assim como a resolu√ß√£o dos sensores, levando a sali√™ncias nos pain√©is traseiros, √†s vezes at√© bastante pronunciadas.

Um grupo de pesquisadores de engenharia elétrica e de computação da Universidade de Utah pode ter encontrado uma solução para esse problema. De fato, um novo tipo de foi desenvolvido lente significativamente mais fina e mais leve comparado às lentes convencionais, atualmente usadas. A nova criação tem uma espessura de alguns mícrons contra os poucos milímetros de lentes fotográficas tradicionais para smartphones.

Crédito РFaculdade de Engenharia da Universidade de Utah

O professor associado de engenharia el√©trica e de computa√ß√£o Rajesh Menon afirma que √© um lente 100 vezes mais leve e 1.000 vezes mais fina. Segundo os pesquisadores, o desempenho pode atingir o dos objetivos tradicionais. Para conseguir isso, a lente foi redesenhada para ter uma forma plana e n√£o curva. “As √≥pticas refrativas convencionais s√£o compostas de superf√≠cies curvas e tornam-se mais espessas com o aumento da resolu√ß√£o. Ou seja, para refratar a luz em √Ęngulos maiores, o raio de curvatura deve ser reduzido e, consequentemente, a lente se torna mais espessa e mais pesadaL√™ a publica√ß√£o.

Por esse motivo, os pesquisadores perceberam uma lente plana atrav√©s do uso de muitas microestruturas que conseguem direcionar a luz corretamente no sensor. Menon especifica que √© poss√≠vel pensar nessas microestruturas como muitos pequenos pixels de uma lente “sozinhos, eles n√£o representam um objetivo, mas trabalham juntos para agir como uma lente fotogr√°fica

Além disso, este novo tipo de lente pode ser usado como imagem térmica e explorado em dispositivos para visão noturna. Especificamente, a pesquisa se refere ao ambiente militar e aos drones que poderiam se beneficiar da maior leveza dos objetivos. Os benefícios não param por aí, porque o novo objetivo também seria mais barato de produzir como é construído com polímeros plásticos e não em vidro.

Em suma, pode ser o come√ßo de uma nova era que se despede das sali√™ncias que atualmente caracterizam as c√Ęmeras dos smartphones.