Smartphone: novo splash na China, embarques caem 21%

O mercado de smartphones registrou uma queda nas remessas na China de 21% no primeiro trimestre de 2018. √Č o que emerge de um novo relat√≥rio produzido pela Canalys, que fotografou o desempenho do setor no primeiro trimestre deste ano. Um retrocesso consistente com o que surgiu no quarto trimestre de 2017, quando se falou em uma contra√ß√£o de 14% no pa√≠s do drag√£o.

Entrando em detalhes, Canalys fala sobre 91 milh√Ķes de smartphones enviados para a China nos primeiros tr√™s meses de 2018. No mesmo per√≠odo de 2017, as unidades embarcadas atingiram 114 milh√Ķes, uma queda de 21%. No entanto, uma tend√™ncia que parece ter afetado principalmente os fabricantes com a menor participa√ß√£o no mercado chin√™s.

Tela 2018 04 27 em 12 43 53
Clique para ampliar

Aqueles que ocupam as primeiras posi√ß√Ķes na China parecem ter consolidado ainda mais sua lideran√ßa. A Huawei est√° no topo com uma participa√ß√£o de mercado de 24% no primeiro trimestre de 2018, 6 pontos percentuais em rela√ß√£o ao primeiro trimestre de 2017. Tamb√©m neste caso, um n√ļmero consistente com o que surgiu no quarto trimestre do ano passado, quando a empresa chinesa foi a √ļnica a aumentar seus embarques.

Leia também: Mercado de smartphones, primeiro passo histórico para trás na China?

A Oppo ficou em segundo lugar, com uma participação de mercado na China de 19%, seguida de perto pela Vivo com 17%. As duas empresas pertencem à mesma holding, BBK Electronics, que também tem a marca OnePlus. Um gigante real, que continua seu crescimento.

Tela 2018 04 27 em 12 43 35
Clique para ampliar

Em quarto lugar, a Apple foi prejudicada pela Xiaomi, com o √ļltimo tendo ganho 13% de participa√ß√£o de mercado no primeiro trimestre de 2018. As outras empresas no top 10, entre as quais Samsung e Meizu se destacam, parecem estar destinadas, na China, a viver um ano em um sinal negativo. Finalmente, o item “Outros” passou de 42% para 27% de participa√ß√£o de mercado em apenas 1 ano.

A sensa√ß√£o √© de que os usu√°rios est√£o come√ßando a prestar mais aten√ß√£o na qualidade dos dispositivos do que na quantidade. Nesse sentido, √© √ļtil citar dados que surgiram do √ļltimo relat√≥rio GfK, segundo os quais no primeiro trimestre de 2018 haveria um aumento surpreendente de 21% no ASP (pre√ßo m√©dio de venda) dos smartphones em compara√ß√£o ao primeiro trimestre de 2017, que teria se estabelecido em US $ 374.

dasdasdss

Um n√ļmero evidentemente influenciado pelos pre√ßos do topo da faixa, que desencadeou um efeito domin√≥ real, impulsionando ainda mais os smartphones de gama m√©dia, cada vez mais protagonistas do mercado. De qualquer forma, a desacelera√ß√£o na China deve inevitavelmente nos fazer pensar.

Leia também: Mercado de smartphones, na Itália não há mais lugar

Certamente ser√° interessante verificar se a tend√™ncia destacada pela Canalys est√° destinada a caracterizar todo o ano de 2018. A China sempre representou um mercado essencial para o setor de smartphones e, portanto, a desacelera√ß√£o nessas √°reas. tamb√©m pode ter repercuss√Ķes importantes em n√≠vel global.


Tom’s Recommend

O Xiaomi Mi Mix 2, o smartphone topo de gama da empresa chinesa, caracterizado por um design sem fronteiras, está disponível para compra na Amazon com um desconto de 30% em relação ao preço de tabela.