Samsung e LG, para a produção de smartphones na Coréia?

A LG Electronics e a Samsung Electronics estĂŁo diminuindo e, em alguns casos, atĂ© parando a produção de smartphones na CorĂ©ia. Aparentemente, e de acordo com pesquisas recentes de analistas da indĂșstria, os dois gigantes do leste estariam mudando suas produçÔes para o VietnĂŁ ou em outros paĂ­ses onde os custos trabalhistas sĂŁo significativamente mais baixos.

A principal motivação, além da mão-de-obra acima mencionada, seria a saturação do mercado que, hå algum tempo, leva a uma estagnação previsível. Outro fator, certamente não de importùncia secundåria, é representado pela competição dos mais importantes jogadores chineses como Xiaomi (atualmente fabricante do quarto mundo) e Huawei, extremamente competitivas e capazes de contar com custos de produção mais baixos.

Entre a estagnação no mercado global de smartphones e a concorrĂȘncia acirrada, os fabricantes coreanos de smartphones nĂŁo tĂȘm escolha a nĂŁo ser cortar custos e gerenciar funcionĂĄrios com mais flexibilidade” Estas sĂŁo as palavras de um analista que nĂŁo queria revelar seu nome. De acordo com os dados coletados e revelados por AnĂĄlise estratĂ©gica, smartphones produzidos na CorĂ©ia, representaram 11,4% do total distribuĂ­do no mercado global em 2008. Dez anos depois, a situação mudou radicalmente, com o percentual de produção caiu para 1,3%. Esse percentual, de acordo com as previsĂ”es, deve sofrer outra queda importante: a LG transferiu sua produção para Hai Phong, no VietnĂŁ, no final de 2018. Aqui, a gigante coreana opera uma fĂĄbrica em operação desde 2014 com capacidade anual de produção de 6 milhĂ”es de dispositivos.

A Samsung tambĂ©m reduziu significativamente a produção na CorĂ©ia, basta pensar que hĂĄ cerca de uma dĂ©cada a gigante coreana produziu 60 milhĂ”es de dispositivos, agora pouco mais de 20 milhĂ”es. No entanto, a queda na produção domĂ©stica nĂŁo afeta muito a produção total da Samsung, que atualmente administra fĂĄbricas no VietnĂŁ, Brasil, Índia e IndonĂ©sia e produz cerca de 300 milhĂ”es de dispositivos por ano.