Redmi Note 8 Pro review: o mid-range tem um novo protagonista

A Xiaomi correu um risco duplo com o Redmi Note 8 Pro: por um lado, poderia ter criado um rival interno ao Redmi Note 7, um dos smartphones mais vendidos de 2019; por outro, poderia ter criado mais confusão em um catálogo de produtos que já é complexo por si só. A empresa chinesa, no entanto, conseguiu fabricar um dispositivo absolutamente sensato, que preside uma faixa de preço precisa (entre 200 e 300 euros) sem entrar em concorrência direta com o Redmi Note 7.

Portanto, n√£o estamos diante de uma evolu√ß√£o do Redmi Note 7, mas para um smartphone diferente, com uma melhor ficha t√©cnica. A quantidade de RAM de fato sobe para 6 Gigabytes, a mem√≥ria interna pode tocar em 128 Gigabytes, as c√Ęmeras traseiras se tornam 4. Todos os elementos que contribuem para oferecer uma excelente experi√™ncia ao usu√°rio, que certifica, se necess√°rio, o O dom√≠nio absoluto da Xiaomi nesses segmentos.

O processador MediaTek convence

Um dos aspectos que mais discutiu este Redmi Note 8 Pro √©, sem d√ļvida, o processador. De fato, a empresa chinesa decidiu, para o modelo em quest√£o, abandonar os SoCs da Qualcomm Snapdragon para abra√ßar um MediaTek, especialmente o Helio G90T. √Č um chip de 12nm com arquitetura octa-core que, al√©m do que a placa diz, oferece desempenho absolutamente convincente.

No uso diário, de fato o smartphone é sempre rápido e fluido, sem hesitação. A dissipação de calor é muito boa Рdifícil de perceber pelo corpo Рe surpreendentemente o desempenho gráfico também é bom. Deste ponto de vista, os processadores MediaTek sempre mostraram seu lado em comparação com o Snapdragon, mas a GPU Mali-G76 conseguiu não me fazer lamentar o Adreno. Em suma, a plataforma de hardware funciona bem e os 6 Gigabytes de RAM fazem o resto.

Excelentes not√≠cias tamb√©m da autonomia. Com o meu uso (misturado entre LTE e Wi-Fi, 2 contas de correio push, centenas de notifica√ß√Ķes de redes sociais e aplicativos de mensagens instant√Ęneas, mais de 2 horas de chamadas telef√īnicas), consegui cobrir 28 horas de dist√Ęncia da tomada na frente de 7 horas de acesso √† tela. Em resumo, com um uso mais moderado, n√£o √© ut√≥pico pensar que voc√™ pode cobrir dois dias sem recarreg√°-lo. Resultados verdadeiramente excelentes.

Além disso, o carregamento é rápido Рcom um carregador especial incluído na embalagem Рe a conectividade está completa: Bluetooth 5.0, Wi-Fi ac de banda dupla, rádio FM, conector de áudio de 3,5 mm, porta USB-C, NFC. Também não há falta de suporte para Dual SIM, mas nesse caso você precisa desistir da expansão da memória.

Visor amplo, setor fotogr√°fico vers√°til

A parte frontal do Redmi Note 8 Pro √© ocupada, em grande parte, por uma tela de 6,53 polegadas, interrompido apenas por um entalhe que abriga a c√Ęmera frontal. √Č o painel LCD IPS usual do qual a Xiaomi faz uso extensivo nessa faixa de pre√ßo, capaz de oferecer uma boa experi√™ncia de visualiza√ß√£o em praticamente qualquer condi√ß√£o, mesmo em ambientes externos. Excelentes √Ęngulos de vis√£o e renderiza√ß√£o de cores, enquanto os contrastes certamente est√£o longe das telas OLED e AMOLED.

A resolu√ß√£o √© igual a 1.080 x 2.340 pixels √© mais do que suficiente para desfrutar de conte√ļdo multim√≠dia. A tela tamb√©m √© protegida por um vidro Gorilla Glass 5, que deve, portanto, oferecer prote√ß√£o especial contra choques e quedas acidentais. Os quadros, embora reduzidos, ainda est√£o presentes e, embora n√£o ofere√ßam um design particularmente atraente ao Redmi Note 8 Pro, eles eliminam o fen√īmeno irritante de toques involunt√°rios na tela.

A ergonomia deste smartphone ainda mostra luzes e sombras. De fato, pouco se pode dizer sobre a qualidade da construção, com a carcaça de vidro brilhante e a moldura lateral em policarbonato: nas mãos, você percebe uma excelente sensação de solidez. Por outro lado, no entanto, o dispositivo é escorregadio, é impossível usá-lo com uma mão e o módulo fotográfico traseiro é particularmente saliente, de modo a tornar o Redmi Note 8 Pro instável quando você o coloca em um avião.

Os bot√Ķes f√≠sicos (volume e pot√™ncia) ainda est√£o perfeitamente acess√≠veis, bem como o sensor de impress√£o digital, na qual a Xiaomi fez uma escolha quase “retro”. Na verdade, est√° posicionado na parte traseira, logo abaixo do m√≥dulo fotogr√°fico, funciona bem, mesmo que, de tempos em tempos, tenha mostrado alguma incerteza, em termos de velocidade, no desbloqueio do dispositivo.

Na parte de tr√°s h√° quatro c√Ęmeras: sensor principal de 64 megapixels f / 1.9 a 26 mm (este √© o famoso sensor fabricado pela Samsung em colabora√ß√£o com a Xiaomi), assistido por um segundo grande angular de 8 megapixels (f / 2,2, 13 mm), um para a macro de 2 megapixels e um sensor de profundidade sempre 2 megapixels. Em resumo, uma configura√ß√£o que oferece tanta versatilidade de uso.

As fotos eles s√£o de bom n√≠vel durante o dia, com um alto n√≠vel de detalhe capturado em macros. √Ä noite, um pouco de ru√≠do digital assume, por√©m consistente com a faixa de pre√ßo a que pertence. Em geral, √© um setor fotogr√°fico que eu gostei, na minha opini√£o, um pequeno passo √† frente em compara√ß√£o com o Redmi Note 7. Discurso semelhante para a c√Ęmera frontal de 13 megapixels, enquanto os v√≠deos podem ser gravados com resolu√ß√£o de at√© 4K a 30 qps , sem inf√Ęmia e sem elogios.

Conclus√Ķes: quem deve compr√°-lo?

Caso esteja procurando um smartphone e tenha um orçamento entre 200 e 300 euros, você certamente deve considerar este Redmi Note 8 Pro. Para comprá-lo, você precisa de 259 euros (6 GB de RAM, 64 GB de memória), que se tornam 299 euros para a variante de 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. Figuras objetivamente contidas em comparação com o que é oferecido.

Poder√≠amos estar na frente de mais uma melhor compra da Xiaomi que, al√©m disso, ser√° capaz de coexistir serenamente com o Redmi Note 7. Este √ļltimo, de fato, continua a atrair todos aqueles que n√£o podem ir, por op√ß√£o ou exig√™ncia, acima de 200 euros. Como sempre, a palavra passa para o mercado, mas a empresa chinesa parece ter atingido o alvo novamente.