Queda no uso de novas tecnologias na economia grega

tromaktiko Em 64º lugar, entre 144 países, a Grécia está em seu ranking estudo anual «Relatório Global de Tecnologia da Informação 2013» do Fórum Econômico Mundial, que se refere ao uso de novas tecnologias na economia de cada país. Segundo o estudo, a pontuação do nosso país foi de 3,9 e o declínio em seu desempenho anual na economia digital corresponde a 5 posições, pois em 2012 ficou em 59º lugar entre 142 países.

Com o tempo, de 2006 a 2007, quando a Grécia ficou em 48º lugar entre 122 países,<…>

o curso da economia digital grega está em declínio. Em 2010-2011, a Grécia ficou em 64º lugar, subiu em 2012 para 59º e em 2013 está novamente em 64º, incapaz de manter a vantagem da ascensão do ano passado.

Essas flutuações no ranking da Grécia em termos de desempenho na economia digital mostram uma arritmia na adoção de inovações e reformas com a ajuda de novas tecnologias. No entanto, analistas do Fórum Econômico Mundial não escondem seu otimismo de que as condições são melhores do que no exercício financeiro anterior, quando a onda de crise foi feroz, varrendo empregos, estabilidade financeira e perspectivas, especialmente para nova geração. Nesse contexto, os países estão fazendo o que podem para se adaptar aos novos dados, incorporando as tecnologias da informação e comunicação em suas estruturas e economias.

Vale ressaltar que, para 2013, os países com alto desempenho na economia digital estão contabilizando perdas, uma amostra da recessão que está afetando parte da economia internacionalmente. A China perdeu 7 lugares, Romênia 8, Suécia 2, Dinamarca 4, Canadá 3, Nova Zelândia 6 e Argentina 7. Por outro lado, o México subiu 13 lugares, a Geórgia 23 lugares, Israel é 5 lugares mais alto, Israel e Luxemburgo também são 5 lugares mais altos, Cazaquistão é 12 lugares mais alto.

Analistas do Fórum Econômico Mundial apontam que o reconhecimento da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) como uma alavanca para o desenvolvimento e a criação de empregos de alto nível está agora difundido internacionalmente. O risco de investimento em TIC se torna mais urgente do que nunca e o valor de seu impacto na produção e utilização dos recursos de cada país é reconhecido.

“As tecnologias da informação e comunicação são um fator-chave para um mundo mais econômico, ambiental e socialmente sustentável, após uma das mais graves crises econômicas das últimas décadas”., características do relatório.

“O Relatório Global de Tecnologia da Informação 2013” enfatiza o papel fundamental da tecnologia como catalisador da transformação da sociedade e da economia na próxima década, por meio da modernização e inovação.

Os dez principais países tecnologicamente avançados e conectados digitalmente são concluídos na seguinte ordem: Finlândia, Cingapura, Suécia, Holanda, Noruega, Suíça, Reino Unido, Dinamarca, Estados Unidos, Taiwan e China.

No Índice de prontidão em rede (NRI), acima da Grécia estão países como Cazaquistão (43), Maurício (55), Montenegro (48), Croácia (51), Malta. (28º lugar), República Tcheca (42º lugar), Lituânia (32º lugar), Barbados (39º lugar), Chile (34º lugar) e Letônia (41º lugar).

A classificação dos países no Digital Readiness Index baseia-se em quatro eixos: Meio ambiente (político, regulatório, comercial, inovador), Prontidão (infraestrutura e conteúdo digital, acessibilidade financeira, habilidades), Uso (pessoal, profissional, governo) e Impacto social).

A Grécia, em 2013, em termos do eixo Meio Ambiente, ocupa o 87º lugar e, em termos do Eixo Prontidão, em 47º lugar, em termos de Uso, 68º e, em termos de Impacto, 82º.

Sistema jurídico, problemas no empreendedorismo e na criação de empresas, alto custo de serviços tecnológicos, baixa qualidade do sistema educacional, baixa taxa de inovação e baixo impacto da tecnologia na economia real, sociedade e governo são suas desvantagens Grécia, que está lançando seu desempenho na economia digital.

Fonte: tro-ma-ktiko.blogspot.gr