Propriet√°rios de AirBnB no centro das aten√ß√Ķes da administra√ß√£o fiscal!

As propriedades de aluguel de curto prazo est√£o em crescente demanda, com o mercado subindo acentuadamente nas √ļltimas temporadas e os alugu√©is no ver√£o devem subir rapidamente.

Paralelamente a esse aumento, os controles dos serviços fiscais competentes estão se intensificando, com o objetivo de combater a sonegação de impostos neste setor.

A Autoridade da Receita P√ļblica Independente, recentemente, “espanou” os dados dos contribuintes que declararam n√£o ter declarado sua renda com o aluguel de im√≥veis por meio das plataformas AirBnB.

As auditorias realizadas em 2018 pelo AADE encontraram 38 contribuintes que possuíam receita não declarada de arrendamentos de curto prazo do tipo AirBnB.

Eles mesmos relataram uma renda média de 23.222 euros ou 1.935 euros por mês em média e um total de 882.443 euros.

As autoridades fiscais, ao que parece, “chamaram a aten√ß√£o” dos contribuintes ativos neste campo, uma vez que a receita estimada √© de 1,9 bilh√£o.

AirBnB

Registro e cruzamentos

55.000 cidadãos são registrados no Short-Term Lease Register. Nesse caso, os proprietários terão que apresentar uma declaração de imposto para o ano de 2018 que inclua a receita do arrendamento de seus imóveis para 2018, que será tributada a taxas que variam de 15% a 45%.

Essa receita é declarada agregada por propriedade no código 60 da coluna 16 do formulário E2 (declaração detalhada sobre aluguel de imóveis). A partir da receita bruta de 2018, um percentual de 5% para os custos de reparo, manutenção, reforma ou outros custos fixos e operacionais dos imóveis é reconhecido como um desconto.

Vale ressaltar que os rendimentos declarados na declaração de imposto cruzam-se com os mostrados no Registro.

O AADE iniciou a verifica√ß√£o cruzada dos dados imobili√°rios, atrav√©s das declara√ß√Ķes dos contribuintes no Taxisnet.

Fonte: https://www.zougla.gr