Presidente equatoriano: Assange viola seus termos de asilo

Assange O presidente do Equador, Lenin Moreno, acusou o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, de violar seus termos de asilo na embaixada sul-americana em Londres.

Assange, 47 anos, vive na embaixada do Equador h√° quase sete anos. Durante sua estada l√°, ele fez um acordo sobre as condi√ß√Ķes de seu asilo, que violou, segundo Moreno.

Moreno, em entrevista a um programa de r√°dio, disse que Assange n√£o tem o direito de “invadir contas ou telefones pessoais”. Ele tamb√©m n√£o tem permiss√£o para interferir na pol√≠tica de outros pa√≠ses.

Segundo o presidente, essa n√£o √© a primeira vez que Assange violou suas condi√ß√Ķes de asilo. Ele n√£o est√° proibido de se expressar livremente, mas n√£o pode mentir e invadir dados pessoais, como telefones celulares e contas.

De fato, Moreno disse que algumas fotos antigas, que mostravam ele e sua família na Europa, vazavam para a imprensa. O próprio Moreno não acusou Assange abertamente do vazamento, mas seu governo acredita que o WikiLeaks está por trás da divulgação das fotos.

O presidente Moreno logo tomar√° uma decis√£o sobre como lidar com o caso de Assange depois que o ikiWikiLeaks informou que Moreno tem uma conta offshore no Panam√°. Moreno nega as acusa√ß√Ķes e diz que elas n√£o t√™m fundamento.

Segundo o ministro das Rela√ß√Ķes Exteriores do Equador, Jos√© Valencia, as condi√ß√Ķes de vida de Assange eram baseadas no direito internacional. Quando Assange os violar, o contrato de asilo poder√° ser quebrado. No entanto, o pr√≥prio Moreno ainda n√£o anunciou se demitir√° Assange da embaixada.