Por que Steve Jobs sempre usava um blazer preto?

O blazer preto, jeans, esportes e √≥culos redondos. Lembra voc√™ de algo; √Č isso mesmo, Steve Jobs. Alguns dias ap√≥s sua morte, um segredo √© revelado!

O su√©ter preto de manga comprida foi talvez a √ļnica coisa que n√£o surpreendeu nem um pouco quando Steve Jobs apareceu para apresentar um novo gadget. Na √ļltima d√©cada de sua vida <‚Ķ>

O c√©rebro da Apple quase sempre usava a mesma “roupa”: o blazer, os jeans 501 da Levi e os t√™nis New Balance 991.

Como muitas outras coisas em sua vida, a prefer√™ncia particular de Jobs por isso – e apenas isso – a roupa estava envolta em mist√©rio. No entanto, parece que o CEO genial levou seu segredo proverbial em seu t√ļmulo, no cemit√©rio privado, n√£o religioso, a dez minutos de sua resid√™ncia. Em sua biografia autorizada, que ser√° lan√ßada em 24 de outubro, um m√™s antes da programa√ß√£o original, Jobs revela o mist√©rio por tr√°s da “roupa” que acompanhou a maioria de suas apari√ß√Ķes p√ļblicas. E junto com esse mist√©rio, outro lado de seu personagem complexo √© revelado.

Tudo come√ßou com uma viagem ao Jap√£o no in√≠cio dos anos 80. Jobs havia visitado a Sony, entre outros. Quando se encontrou com Akio Morita, diretor da empresa, ele pediu para saber o motivo pelo qual todos os funcion√°rios usavam o mesmo uniforme. Morita respondeu que, ap√≥s a Segunda Guerra Mundial, os japoneses n√£o tinham muitas roupas para vestir e as empresas cuidaram de suas roupas. O uniforme foi estabelecido ao longo dos anos. Era uma maneira de indicar “v√≠nculo” entre os funcion√°rios.

“Decidi que queria esse tipo de relacionamento com a Apple”, disse Jobs em uma biografia assinada por Walter Isaacson. O passo seguinte foi uma reuni√£o com o estilista que assinou a roupa da Sony e ele n√£o era outro sen√£o o famoso estilista japon√™s Isei Miyake. Jobs retorna aos Estados Unidos com algumas amostras. ‚ÄúVoc√™ est√° louco?‚ÄĚ Seu pr√≥prio povo reage. Diante do levante, o chefe recua.

Alguns anos depois, Steve Jobs seria for√ßado a deixar a Apple (ele retornaria vitorioso em 1997). Enquanto isso, o encontro com a costureira Miyake se tornara uma amizade duradoura. A id√©ia de uma “marca registrada” pessoal n√£o o abandonou. “Ent√£o pedi a Isay que me desse alguns ziguezagues pretos que eu gostava e ele me fez alguns cent√≠metros”, disse Jobs a Isaacson. Diante da surpresa do autor com a quantidade de zivago, Jobs abriu seu arm√°rio. “Isso √© o suficiente para o resto da minha vida”, ela disse a ele. AS NOT√ćCIAS

Fonte: http://www.newsit.gr