Pesquisa: Por que os gregos limitam sua atividade on-line?

Pesquisa: Por que os gregos limitam sua atividade on-line? Cidadãos da UE dizem estar particularmente preocupados com a segurança da Internet

Embora a tecnologia avance diariamente e a Internet seja uma ocorrĂȘncia diĂĄria comum, os cidadĂŁos da UniĂŁo Europeia e, principalmente, da GrĂ©cia, estĂŁo preocupados com a segurança de seus dados pessoais. No mĂ­nimo, isso revela uma pesquisa do Eurostat sobre o uso de novas tecnologias no campo da tecnologia da informação e das comunicaçÔes.

Maior preocupação de todos os estados membros da UE

A pesquisa abrange o ano de 2019 e cidadĂŁos de 16 a 74 anos de idade dos Estados-Membros da UniĂŁo Europeia. O processamento de dados mostra que 44% dos cidadĂŁos da UE afirmam ter reduzido sua atividade na Internet nos Ășltimos anos por razĂ”es relacionadas Ă  sua segurança pessoal. Mais especificamente, os cidadĂŁos parecem cada vez mais evitar fornecer informaçÔes pessoais, a uma taxa de atĂ© 25% em pĂĄginas especializadas, como redes sociais (por exemplo, Facebook, Twitter, Instagram etc.), mas tambĂ©m redes profissionais ( por exemplo, Linkedin).

Os cidadĂŁos da UE tambĂ©m parecem nĂŁo confiar em redes Wi-Fi pĂșblicas, pois 19% dizem que nĂŁo as usam. AlĂ©m disso, uma porcentagem de 16% da amostra afirmou que nĂŁo realiza ou evita compras on-line e outras atividades on-line que envolvem transferĂȘncia de dinheiro, como cassinos on-line, pagamentos de contas, doaçÔes de dinheiro on-line, etc.

Respectivamente, 13% evitam transaçÔes bancĂĄrias via internet. No que diz respeito Ă  comunicação com organizaçÔes e serviços pĂșblicos, existe uma preocupação com a comunicação segura a uma taxa de atĂ© 8%.

Internet

Os golpes mais comuns na internet

Como esse interessante estudo revela, a maioria dos casos de fraude na Internet e roubo de dados pessoais é realizada usando os métodos de phishing e pharming. No primeiro caso de phishing, estamos falando sobre o processo de espionagem de dados pessoais confidenciais, como nome de usuårio, senhas, informaçÔes de cartão de crédito, copiando sites legais, como bancos, carteira eletrÎnica (por exemplo, Paypal) etc. No segundo caso, estamos falando de cobrança dados pessoais de um computador infectado com vírus ou redirecionamento para sites falsos para espionar dados pelo método anterior.

No que diz respeito Ă s experiĂȘncias dos usuĂĄrios da UE, 34% responderam que enfrentaram problemas de segurança em 2019, enquanto 26% responderam que receberam mensagens fraudulentas para fins de phishing e 13% relataram problemas atravĂ©s do pharming. 3% dos cidadĂŁos da UE disse ter sido vĂ­tima de fraude com cartĂŁo bancĂĄrio e 3% haviam perdido dados em um computador devido a um vĂ­rus. 2% tiveram acesso a suas contas em sites e 1% foram identificados como vĂ­timas de fraude e chantagem.

Pesquisa na Grécia Por que os gregos

O que dizem os cidadĂŁos gregos?

Na GrĂ©cia, as porcentagens parecem ser ligeiramente inferiores Ă  mĂ©dia geral de todas as categorias. Os gregos que evitam enviar dados para redes sociais / profissionais representam 10% (25% em mĂ©dia na Europa), enquanto no que diz respeito ao uso de redes Wi-Fi pĂșblicas, o percentual chega a apenas 4% (19% em mĂ©dia na Europa). )

Quanto Ă  questĂŁo de fazer compras eletrĂŽnicas, 9% dos gregos (participantes da pesquisa) responderam que as evitam (13% em mĂ©dia na Europa), 13% evitam transaçÔes bancĂĄrias on-line (mesma porcentagem que na Europa) e 2% tĂȘm medo e evitam se comunicar com os serviços pĂșblicos e a organização via internet.

8% dos usuĂĄrios gregos afirmam ter recebido mensagens de phishing (26% em mĂ©dia na Europa) e 8% afirmam ter detectado procedimentos farmacĂȘuticos (13% em mĂ©dia na Europa). Finalmente, os gregos que foram vĂ­timas de ataques fraudulentos com cartĂ”es de crĂ©dito / dĂ©bito atingem 2% (3% em mĂ©dia na Europa), enquanto todos os outros problemas nĂŁo excedem 1%.