Patentes, a Samsung terá que pagar US $ 539 milhões à Apple

Com uma votação unânime do júri, o tribunal de San Jose, Califórnia, decidiu que Samsung terá que pagar à Apple uma quantia de 539 milhões de dólares por violar algumas patentes em 2011. Assim, terminou uma disputa de 7 anos entre os dois gigantes, com uma decisão salomônica que surge no meio do caminho entre os pedidos de um e de outro, mesmo que certamente satisfeito com mais Apple. Enquanto a empresa Apple sempre reiterou seu pedido de 1 bilhão de dólares, a Samsung disse que estava disposta a não pagar mais de 28 milhões de dólares.

Na base das diferentes visões, há uma avaliação diferente do que é um produto, seja a simples soma das patentes em que se baseia ou algo que as transcende. Samsung de fato, admitiu sua culpa, sempre alegou não ter que pagar mais do que o valor das patentes violadas individualmente, porque o iPhone usa mais de 200 e nem todos eles pertencem à empresa californiana.

patente Samsung Samsung 100018090 grande

A Apple, por outro lado, sempre respondeu que, através do uso ilícito de algumas patentes da Samsung, havia criado um smartphone muito semelhante, confundindo consumidores e subtraindo as vendas em potencial do seu iPhone.

No final, portanto, prevaleceu nesta segunda leitura que um smartphone é algo mais do que o conjunto de patentes em que se baseia, mesmo que o valor estimado seja igual à metade do solicitado pela Apple. De fato o processo de tomada de decisão do júri não é muito claroalém disso, o assunto das patentes é espinhoso e particularmente complexo e o malabarismo não é fácil (nesse sentido, este é um dos textos mais completos e recentes a esse respeito). O número, no entanto, foi estabelecido da seguinte forma: US $ 533,3 milhões em compensação pela violação de três patentes de design e outros US $ 5,3 milhões pela violação de outras duas patentes nos chamados “utilitários”.

Em resumo, o valor fixo e a forma como foi composto confirma substancialmente a importância das patentes de design no setor tecnológico. Certamente, uma decisão positiva para algumas empresas, mas que, como dissemos outra vez, corre o risco de concentrar excessivamente o poder nas mãos de empresas maiores que têm poder econômico para obter e defender suas patentes.