OTAN: Ciberataque pode ativar o Artigo 5!

Recentemente, o secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg emitiu um aviso a estados hostis a outros estados, organizando ataques cibernéticos. Em entrevista à mídia sobre o assunto, ele disse que, com apenas um ataque sério, a defesa da Aliança da OTAN seria acionada. Mais especificamente, como declarado no Artigo 5, um ataque destinado a um aliado é tratado como um ataque a todos.

NATO

Além disso, Jens Stoltenberg ameaça com um crime cibernético grave qualquer estado da OTAN com suas táticas para ativar o Artigo 5. Ele também disse que um domínio já foi criado na Internet para permitir que a OTAN se proteja como na terra, na água e no mar. ar.

Ele não escondeu sua preocupação com o rápido desenvolvimento de ataques cibernéticos contra a aliança e enfatizou que atividades suspeitas são detectadas diariamente nos sistemas da OTAN. Stoltenberg também enfatizou que a melhor formação e preparação para evitar ataques cibernéticos é sua prioridade.

Nesse ponto, vale ressaltar que o artigo 5 foi ativado apenas uma vez por ano, após os ataques de 11 de setembro em Nova York e no Pentágono.

Nacionalmente, as tensões aumentaram nos últimos anos, após ataques cibernéticos da Rússia e da China. Em 2018, o governo britânico culpou abertamente a Rússia pelo NotPetya ransomware em 2017. Esse ransomware foi direcionado principalmente às redes governamentais ucranianas.

NATO

Infelizmente, vários ataques cibernéticos também assumiram proporções militares. Em 2011, os Estados Unidos advertiram que tinham todo o direito de se opor à ação militar em caso de ataque cibernético. Israel lançou um ataque militar em resposta a uma tentativa de ataque cibernético lançada pelo grupo terrorista do Hamas em maio.

Ao mesmo tempo, em 2018, Donald Trump relaxou essencialmente a linha política que os Estados Unidos deveriam seguir se realizassem um ataque cibernético a outro país.

Enquanto isso, o Reino Unido, em abril de 2018, reconheceu publicamente que havia realizado um ataque cibernético contra um grupo terrorista do Estado Islâmico.