Os MacBooks com Apple Silicon serão mais caros?

Mudar para MacBooks da Intel para processadores Apple Silicon proprietários terá um custo. Para apoiá-lo, está Ming-Chi Kuo, analista sempre muito atento ao que acontece no de Cupertino. Em uma nova nota emitida para investidores (e visualizada por AppleInsider), o analista divulgou suas previsões sobre essa nova mudança de época.

Para Kuo, a transição envolverá um aumento no preço unitário da Apple que terá de suportar custos adicionais decorrentes das novas atividades de design e das despesas incorridas pelos fornecedores. Não está claro se o aumento de custo será absorvido de alguma forma pela gigante californiana ou se será movido para os consumidores com o consequente aumento nos preços de venda de futuros MacBooks. Difícil de dizer. Será necessário aguardar os primeiros modelos para entender o impacto econômico no usuário final da escolha feita pela Apple.

Na mesma nota, o analista revisou para cima suas estimativas para remessas de MacBook. Para 2020, eles foram fixados em 16-16,5 milhões de unidades, com um crescimento anual de 15%. Contribuir para esse resultado seria o aumento da demanda pelo MacBook Air. Até o novo Magic Keyboard para iPad Pro (o primeiro com trackpad) teria superado as estimativas, aumentando a demanda em 10-20%. Em suma, aparentemente, as coisas na casa da Apple parecem estar indo bem.

Os primeiros MacBooks da Apple baseados em silicone podem chegar no final do ano com o abandono definitivo das soluções da Intel que não acontecerão antes de dois anos.