# OccupyLondon: A noite com as mil m√°scaras em 5 de novembro

A m√°scara an√īnima √© um s√≠mbolo que une aqueles que ap√≥iam uma mensagem global e clara.

Em 5 de novembro, os famosos “hacktivistas” planejam protestar na Catedral de S√£o Paulo, em Londres. Como ser√° descrito, “a noite com as mil m√°scaras”!

Abaixo apresentamos a mesma mensagem que o Anonymous publicou:

Boa noite, Londres. Permita-me primeiro pedir desculpas por esta interrup√ß√£o. Eu, como muitos de voc√™s, aprecio o conforto da rotina di√°ria – a seguran√ßa do familiar, a tranquilidade da repeti√ß√£o. Eu os aprecio tanto quanto qualquer quarteir√£o. Mas, no esp√≠rito da comemora√ß√£o, desse modo, os eventos importantes do passado geralmente associados √† morte de algu√©m ou ao fim de uma terr√≠vel luta sangrenta, uma celebra√ß√£o de boas f√©rias, pensei que poder√≠amos marcar neste dia 5 de novembro, um dia que √© tristemente n√£o lembro mais, tirando um tempo da vida cotidiana para sentar e conversar um pouco. H√° quem n√£o queira que falemos. Suspeito que, mesmo agora, as ordens estejam sendo combatidas pelos telefones, e homens com armas logo estar√£o a caminho. Por qu√™? Porque, embora o cassetete possa ser usado no lugar da conversa, as palavras sempre ret√™m seu poder. As palavras oferecem os meios para o significado e, para quem quer ouvir, a enuncia√ß√£o da verdade. E a verdade √© que h√° algo terrivelmente errado com este pa√≠s, n√£o √©? Crueldade e injusti√ßa, intoler√Ęncia e opress√£o. E onde, uma vez que voc√™ teve a liberdade de objetar, pensar e falar como quisesse, agora tem censores e sistemas de vigil√Ęncia coagindo sua conformidade e solicitando sua submiss√£o. Como isso aconteceu? Quem √© o culpado? Bem, certamente existem aqueles mais respons√°veis ‚Äč‚Äčdo que outros, e eles ser√£o responsabilizados, mas, novamente, verdade seja dita, se voc√™ estiver procurando pelos culpados, precisar√° apenas olhar no espelho. Eu sei porque voc√™ fez isso. Eu sei que voc√™ estava com medo. Quem n√£o poderia ser? Guerra, terror, doen√ßa. Havia uma infinidade de problemas que conspiravam para corromper sua raz√£o e roubar seu bom senso. O medo tomou conta de voc√™ e, em p√Ęnico, voc√™ se voltou para o agora alto chanceler, Adam Sutler. Ele prometeu a voc√™ ordem, prometeu paz e tudo o que exigiu em troca foi o seu consentimento silencioso e obediente. Ontem √† noite eu tentei terminar esse sil√™ncio. Ontem √† noite destru√≠ o Old Bailey, para lembrar este pa√≠s do que ele esqueceu. Mais de quatrocentos anos atr√°s, um grande cidad√£o desejava incorporar o dia 5 de novembro para sempre em nossa mem√≥ria. Sua esperan√ßa era lembrar ao mundo que justi√ßa, justi√ßa e liberdade s√£o mais do que palavras, s√£o perspectivas. Portanto, se voc√™ n√£o viu nada, se os crimes deste governo permanecem desconhecidos para voc√™, sugiro que permita que o dia 5 de novembro passe sem identifica√ß√£o. Mas se voc√™ v√™ o que eu vejo, se voc√™ sente como eu, e se voc√™ busca como eu procuro, pe√ßo que fique ao meu lado daqui a um ano a partir desta noite, fora dos port√Ķes do Parlamento, e juntos lhes daremos um quinto de novembro que nunca ser√° esquecido. V de Vingan√ßa.