O novo Microsoft Edge suportará todas as extensões do Google Chrome

O futuro navegador Edge da Microsoft será baseado no mecanismo Chromium e, como esperado, suportará todas as extensões do Google Chrome.

Microsoft

Essas informações foram confirmadas recentemente por um engenheiro da Microsoft em uma discussão no reddit sobre o novo navegador que será exibido no início de 2019.

“Nossa intenção Ă© oferecer suporte a extensões existentes do Chrome”, disse Kyle Alden, gerente de projetos do Edge.

A falta de extensões para o Microsoft Edge foi uma das maiores desvantagens da versão existente do navegador. A Microsoft fez uma parceria com desenvolvedores para resolver esse problema e, embora as principais extensões de produto tenham chegado à Microsoft Store, os usuários ainda não têm a mesma variedade de downloads que o Google Chrome.

O que ainda não está claro é como as extensões serão oferecidas aos usuários do Microsoft Edge quando o mecanismo Chromium estiver ligado.

Alden diz que o suporte ao PWA será fornecido e que esses aplicativos estarão disponíveis na Microsoft Store e diretamente através de outros canais. Isso pode acontecer no caso de extensões, embora nenhuma confirmação tenha sido dada.

“Esperamos fornecer suporte para PWAs instalados diretamente do navegador (semelhante ao Chrome), além da abordagem atual da Store. Não estamos prontos para encontrar todos os detalhes, mas os PWAs que atuam como aplicativos inerentes ainda são um princípio importante para que possamos analisar a integração adequada do sistema para fazer o que é certo ”, disse ele.

Ao mesmo tempo, o Edge Project Manager da Microsoft também confirmou que os aplicativos UWP existentes baseados na máquina EdgeHTML atual não desaparecerão. Eles continuarão funcionando como estão agora e permanecerão disponíveis na Microsoft Store.

“Esperamos oferecer um novo WebView que os aplicativos possam optar por usar com base no novo mecanismo de desempenho”, disse ele.

É esperado um lançamento antecipado do novo navegador Microsoft Edge nos primeiros meses de 2019.