O metrô de Londres monitorará os passageiros via Wi-Fi

Wi-fi

A MMM de Londres planeja desenvolver um sistema nos próximos meses que possa monitorar passageiros conectados a um WiFi público nas estações de metrô da cidade.

A agência de transporte da Grã-Bretanha disse na quarta-feira que “a coleta de dados, que será feita com proteção de privacidade, começará em 8 de julho de 2019” e incluirá novos serviços aprimorados adicionais para os passageiros, como atrasos nas rotas, que começará a circular até o final do ano.

O sistema começou com um teste em 2016 e durou um mês, dando à organização de transporte “uma compreensão mais precisa de como as pessoas viajam pelas estações, a interação entre os serviços e como as congestionamento”. Atualmente, a agência disse que usaria esses dados para ajudar a investir em transporte público.

Os pontos de acesso Wi-Fi foram instalados em 54 estações nas zonas de 1 a 4. Se um passageiro tiver o Wi-Fi ativado em seu dispositivo, os pontos de acesso registrarão tentativas de conexão e pesquisas de conexão através de seus endereços MAC.

Durante um período de quatro semanas, mais de 509 milhões de itens foram coletados de 5,6 milhões de dispositivos em 42 milhões de rotas.

O novo sistema será mais extenso, mas apenas os aplicativos de conexão serão coletados por WiFi e não terão acesso à navegação ou ao histórico.

Até o momento, a agência está coletando informações sobre o tráfego de passageiros do sistema de bilhetes, mas não fornece os detalhes necessários.

Uma API com acesso às informações dos passageiros também está em desenvolvimento para criar “novos produtos e serviços”.

Os passageiros que desejam optar por sair deste sistema têm a opção, simplesmente desativando o Wi-Fi do dispositivo ou ativando o modo de voo ao entrar no metrô.

É claro que muitos estão preocupados com a proteção da privacidade e se ela é protegida por esse sistema, e a organização diz que tomará as medidas apropriadas para evitar esses problemas para o público.