O Centro Europeu para o Cibercrime começa na sexta-feira

ec3600 Prevê-se que o EC3 esteja totalmente operacional nos escritórios do Serviço Europeu de Polícia, com sede na Europol, capital dos Países Baixos.

A inauguração do novo Centro Europeu para o Cibercrime (EC3) ocorrerá na próxima sexta-feira, 11 de janeiro, em Haia, como anunciado hoje em Bruxelas. <…>

A Comiss√£o Europeia.

“O Centro de Crimes Cibern√©ticos fortalecer√° significativamente a capacidade da UE de combater o cibercrime e proteger uma Internet livre, aberta e segura”Cecilia MalmstrŌĀőĶm, comiss√°ria para assuntos internos, disse hoje que os cibercriminosos s√£o inteligentes e r√°pidos em usar novas tecnologias para fins criminais e “O EC3 nos ajudar√° a ser ainda mais inteligentes e r√°pidos do que eles, para prevenir e combater seus crimes”.

“Para combater o cibercrime, com sua natureza sem fronteiras e a enorme capacidade dos criminosos de se esconder, precisamos de uma resposta flex√≠vel e apropriada”.Por sua parte, Troll Erting, diretor do Cybercrime Center, disse: Como ele disse, o Centro Europeu de Cibercrime foi projetado para fornecer conhecimento como centro de fus√Ķes e centro de apoio operacional, de pesquisa e criminol√≥gico, mas tamb√©m para mitigar e reduzir a amea√ßa dos cibercriminosos onde quer que eles ajam, gra√ßas a sua capacidade de mobilizar todos os recursos relevantes nos Estados-Membros.

Segundo a Comiss√£o, a investiga√ß√£o de fraude cibern√©tica, abuso infantil atrav√©s da Internet e outros crimes de cibercrime n√£o pode ser tratada com √™xito apenas pela pol√≠cia nacional. A abertura do Centro Europeu de Cibercrime (EC3) marca uma grande mudan√ßa na maneira como a UE luta contra o cibercrime. O EC3 reunir√° informa√ß√Ķes para apoiar as investiga√ß√Ķes criminais e a promo√ß√£o de solu√ß√Ķes no n√≠vel da UE.

O EC3 se concentrar√° em atividades ilegais na Internet desenvolvidas por grupos do crime organizado, em particular ataques a atividades banc√°rias e outras atividades financeiras, a promo√ß√£o da explora√ß√£o sexual e tr√°fico de crian√ßas na pornografia infantil e os crimes que violam informa√ß√Ķes vitais. EU.

O Centro tamb√©m facilitar√° a pesquisa e o desenvolvimento e garantir√° a capacita√ß√£o entre autoridades policiais, ju√≠zes e promotores, e emitir√° avalia√ß√Ķes de amea√ßas, incluindo an√°lise e previs√£o de tend√™ncias, al√©m de alertas oportunos.

Para desmantelar mais redes de crimes cibernéticos e processar mais suspeitos, o EC3 coletará e processará dados sobre crimes cibernéticos e fornecerá serviços de assistência a crimes cibernéticos a unidades de crimes cibernéticos em suas agências policiais. A UE prestará apoio operacional aos Estados-Membros da UE (por exemplo, contra invasão, fraude, abuso sexual infantil, etc.) e fornecerá conhecimento técnico, analítico e forense de alto nível em pesquisas comunitárias conjuntas.

Cerca de um milh√£o de pessoas em todo o mundo s√£o v√≠timas de alguma forma de cibercrime todos os dias. Estima-se que as v√≠timas percam cerca de 290 bilh√Ķes de euros por ano em todo o mundo como resultado do crime cibern√©tico.

A criação de um Centro Europeu para Crimes de Crimes Cibernéticos faz parte de uma série de medidas destinadas a proteger os cidadãos contra os crimes cibernéticos. Complementa propostas legislativas, como a diretiva sobre ataques aos sistemas de informação e a diretiva de combate à exploração sexual infantil e à pornografia infantil na Internet, promulgadas em 2011.

Fonte: portal.kathimerini.gr