O Adobe Digital Editions criptografa os dados coletados pelos usuários

Edições digitais da Adobe A Adobe anunciou que, a partir de quinta-feira, 23 de outubro, todas as informações coletadas pelos usuários do software de leitura digital “Digital Editions” serão criptografadas quando enviadas aos seus servidores.

O aplicativo coleta dados para cumprir as políticas de DRM (Gerenciamento de direitos digitais) que protegem os detentores de direitos autorais contra a pirataria.

“A Adobe usa as informações coletadas sobre o eBook que você abriu no Adobe Digital Editions para confirmar que ele é exibido de acordo com o tipo de licença DRM que acompanha esse e-Book. O tipo de licença é determinado pelo fornecedor do e-Book ”, afirma a empresa.

A empresa explica o objetivo das informações que coleta

No início deste mês, foi revelado que o programa coletava dados em livros e os enviava para um de seus servidores, chamado adelogs.adobe.com.

Nate Hoffelder, do blog The Digital Reader, disse que foram encontradas evidências de que a Digital Editions 4 digitalizou a unidade de armazenamento para procurar outros livros e “compartilhou” os dados com a Adobe.

No entanto, essa foi apenas a ponta do iceberg, porque a análise na Adelog revelou que as informações são enviadas de maneira insegura, permitindo o acesso a terceiros.

Em uma declaração oficial, a Adobe revelou o tipo de informação que extrai dos usuários do Digital Editions, explicando também qual é o uso deles.

Além das informações necessárias para verificar a identidade e identificação do usuário e do dispositivo, a empresa também recupera o endereço IP no momento da compra de um ebook, registra a duração da leitura do texto, o tamanho do ebook lido, bem como os dados incluídos pelos fornecedores de e-books.

Quanto à duração da leitura, “essas informações podem ser coletadas para facilitar os modelos limitados de preços concluídos entre os provedores de livros eletrônicos, como editores e distribuidores”, afirmou a Adobe em comunicado.

A empresa explica que, de alguns modelos, os editores podem cobrar das bibliotecas pelo empréstimo de um e-book a uma pessoa a partir do momento do empréstimo ou de quando o leitor realmente pega o livro e o lê.

O protocolo HTTPS agora é usado para transmitir dados

Informações extremamente importantes foram anunciadas pela Adobe. As informações recebidas do usuário agora são enviadas via conexão segura. Isso elimina o risco de roubo de dados por terceiros.

A Adobe informa que nenhum dos dados coletados é pessoal e que alguns deles podem ser compartilhados com os provedores de e-books.