Novo método duplica os recursos das redes ópticas

Novo método duplica os recursos das redes ópticas

Segundo pesquisadores dos Estados Unidos, eles conseguiram encontrar uma maneira de quebrar as barreiras t√©cnicas atuais nas redes de telecomunica√ß√Ķes √≥pticas, quase duplicando suas capacidades e reduzindo seus custos. Se a nova tecnologia puder realmente ser implementada com sucesso nas redes de fibra √≥ptica existentes que “viveram” a Terra, entre outras coisas, o caminho est√° aberto para uma Internet muito mais r√°pida do que hoje.

Os pesquisadores, liderados por Nikola Alic e Stojan Radic, do Laborat√≥rio de Fot√īnica do Departamento de Engenharia El√©trica e de Computa√ß√£o da Universidade da Calif√≥rnia-San Diego, publicaram o relat√≥rio na revista Science e puderam enviar fibras e decodific√°-las com precis√£o, a uma dist√Ęncia recorde de 12.000 quil√īmetros entre o transmissor e o receptor. Ao mesmo tempo, eles conseguiram aumentar a pot√™ncia dos sinais √≥pticos em 20 vezes.

Novo método duplica os recursos das redes ópticas

O novo m√©todo pode reduzir significativamente o custo da infraestrutura de telecomunica√ß√Ķes, pois torna desnecess√°rio amplificar periodicamente (com equipamento eletr√īnico adequado) os sinais √≥pticos ao longo das fibras √≥pticas.

As redes visuais surgiram na d√©cada de 1980 como uma alternativa mais r√°pida √†s tradicionais redes de cabos de telecomunica√ß√Ķes de cobre. Gradualmente, a tecnologia relevante melhorou ainda mais, √† medida que mais e mais dados s√£o “empacotados” em diferentes canais, que coexistem em diferentes frequ√™ncias (“cores”) no mesmo feixe de luz.

Os sinais √≥pticos que transportam dados e viajam atrav√©s dos cabos de fibra √≥tica para os raios laser devem ser amplificados periodicamente. Al√©m disso, o processo de convers√£o de sinais √≥pticos em eletricidade e vice-versa a cada dezenas de quil√īmetros √© realizado por computadores, o que aumenta o custo dessas redes, al√©m de limitar a quantidade de dados que podem ser transmitidos.

A nova t√©cnica supera essas barreiras. Os pesquisadores foram capazes de enviar sinais visuais por uma dist√Ęncia de 12.000 km sem precisar amplific√°-los ao longo do caminho, desde o transmissor at√© o receptor.

O Google e a Sumitomo Electric Industries, fabricante de cabos de fibra ótica do Japão, contribuíram para o financiamento. No entanto, outros cientistas têm sido mais cautelosos sobre se o novo método pode ser aplicado com o mesmo sucesso no mundo real, além do laboratório.

Fonte: RES