Nova tecnologia torna os tanques invisíveis

Não é a mais recente aventura de Harry Potter, mas uma nova tecnologia que pode dar uma vantagem significativa para quem a usa no campo de batalha. Chama-se Adaptiv, foi desenvolvido na Suécia pela BAE Systems e, nos últimos dias, foi testado em tanques pela primeira vez.

O dispositivo funciona de duas maneiras: como um “manto” que permite que os tanques “imitem” a temperatura do ambiente e se tornem um com ele – ou seja, <…>

tornar-se quase invisível – como uma varinha mágica que “os transforma” em outra coisa, por exemplo em uma vaca ou em um veículo 4 × 4. O “manto invisível” usa câmeras, que registram o espaço circundante e refletem o que “vêem” em painéis especiais, localizados fora do veículo. Atualmente, os pesquisadores estão tentando tornar o sistema compatível com outros comprimentos de onda da luz, para que os tanques cobertos com ele se tornem verdadeiramente invisíveis.

“Tentativas anteriores de desenvolver sistemas de ocultação encontraram obstáculos por causa do custo, de suas necessidades excessivas de energia ou porque os dispositivos não eram duráveis ​​o suficiente”, disse Peter Shield, do WAE Group, cujos cientistas criaram o “manto”. “No entanto, nossas pinturas são tão duráveis ​​que fornecem proteção extra ao tanque de guerra e consomem níveis relativamente baixos de eletricidade, especialmente quando o veículo está em estado de inatividade”.

O segredo está nas pinturas: essas pinturas hexagonais, com 14 cm de diâmetro, são feitas de material que pode mudar a temperatura rapidamente. Para cobrir um pequeno tanque de batalha, são necessários cerca de 1.000 painéis, conectados a câmeras térmicas no veículo, que refletem a temperatura ambiente, mesmo quando o tanque está em movimento.

A mesma tecnologia pode ser usada para fazer com que o veículo pareça outra coisa, através de imagens – por exemplo, carros, caminhões e até pedras grandes – que são armazenadas no sistema. Durante os testes, os pesquisadores descobriram que o Adaptiv tem um desempenho melhor a uma distância de 300 a 400 metros. Eles acreditam que a tecnologia que estão desenvolvendo estará pronta para produção nos próximos dois anos.naftemporiki.gr

Fonte: http://nonews-news.blogspot.com