Nova tecnologia no processo criminal!

Especialistas em serviços forenses e médicos legistas usam as técnicas mais avançadas na caça ao crime.

Anålises de isótopos no cabelo podem indicar a localização do suspeito, enquanto um novo software reconhece a marcha do criminoso.

Esboço do suspeito baseado em DNA

Em vĂĄrios paĂ­ses europeus, os cientistas estĂŁo experimentando novas tĂ©cnicas. Estes, como enfatizado, revelarĂŁo a face do suspeito com base nas informaçÔes<
>

que serå transmitido a partir de anålises de material genético.

Pesquisadores do Centro Médico da Universidade Erasmus, em Roterdã, na Holanda, desenvolveram recentemente um método que revela a cor do cabelo de uma pessoa a partir de resíduos de DNA.

No Instituto de Medicina Forense de Copenhague, eles podem diagnosticar a cor dos olhos a partir de material genĂ©tico. VĂĄrias experiĂȘncias estĂŁo em andamento para revelar a cor da pele e o formato do rosto. As novas tĂ©cnicas serĂŁo extremamente Ășteis na investigação policial nos casos em que hĂĄ falta de testemunhas oculares.

Em resumo, quando a polícia estå no escuro sobre as características do agressor, o método para determinar a cor do cabelo com base em material genético é baseado na anålise de novas mutaçÔes em nosso DNA.

Essas sĂŁo as chamadas “mutaçÔes pontuais”, que sĂŁo registradas em genes que geralmente sĂŁo diferenciados de pessoa para pessoa. As mutaçÔes pontuais no material genĂ©tico de cada pessoa determinam, por exemplo, a cor de seus cabelos e olhos.

Até agora, os cientistas identificaram mutaçÔes de treze pontos que são usadas para determinar (com certeza que chega a 80%) cabelos claros, enquanto em cabelos escuros ou vermelhos a porcentagem correspondente é de 90%.

Fonte: cretalive.gr