Nokia, a fênix árabe da telefonia móvel

Nokia foi a dominadora da m√≠dia no Mobile World Congress 2017. A nova vers√£o do 3310 ainda √© um dos principais t√≥picos da moda na web e, em geral, a aten√ß√£o dada ao evento de apresenta√ß√£o realizado em Barcelona foi realmente alta. Tudo sem a apresenta√ß√£o de um smartphone topo de gama, o √ļnico grande ausente da confer√™ncia da empresa finlandesa.

Considerando o caminho de Nokia no mercado de telefonia móvel, isso não é surpreendente. Basta dar um salto no passado para perceber qual tem sido sua posição de dominação absoluta. Em 2009, Nokia situava-se em 36% da participação de mercado, quase o dobro da Samsung que ocupava a segunda posição com 19%.

Nokia Body Image 1
Participação de mercado da Nokia em 2009

Naquela época, era o início do setor de smartphones, com Android e iOS que chegaram ao mercado por um e dois anos, respectivamente. Não por acaso Symbian era o sistema operacional mais popular no segmento de telefonia móvel, com uma participação de mercado de 46%. Olhe para a criatura de hoje de Google Em 2009, atingir 3% inevitavelmente dá uma idéia de quão longe é esse período tecnológico.

Esse tipo de fotografia representa um caminho que ele viu Nokia dominar por 14 anos ininterruptos, com alguns dispositivos que literalmente marcaram uma √©poca. Apenas pense, por exemplo, no Nokia 1110, comercializado em 2005 e rapidamente se tornou o celular mais vendido da hist√≥ria, com 250 milh√Ķes de amostras vendidas globalmente. Para fazer um r√°pido paralelo, as vendas de iPhone 7 √© 7 Plus atestaram, at√© √† data, em 75 milh√Ķes de unidades.

Nokia Body Image 2
Quota de mercado da Symbian em 2009

No entanto, o sucesso da empresa finlandesa n√£o foi determinado apenas pelos telefones cl√°ssicos, mas tamb√©m pelos dispositivos que, de fato, foram capazes de mostrar um poss√≠vel desenvolvimento futuro de todo o setor. Como podemos esquecer, sempre datado de 2005, o hist√≥rico s√©rie N, com o progenitor N70 que abriu caminho para uma gama que viu a apresenta√ß√£o de novos modelos at√© 2010, em plena explos√£o do fen√īmeno dos smartphones.

Foi inevitavelmente todo o trabalho de pesquisa e desenvolvimento que o permitiu Nokia ser capaz de se impor globalmente. Investimentos que possibilitaram, por exemplo, ser o primeiro a propor um conceito de c√Ęmera de qualidade em um telefone celular (gra√ßas tamb√©m √† colabora√ß√£o com a Zeiss), criando tecnologias como Vis√£o pura quem trouxe o Nokia 808 a ser concedido em Mobile World Congress 2012 (portanto, com a empresa em crise) como Melhor novo celular, dispositivo ou tablet.

Imagens Nokia Body 4
Nokia 808 com lente Carl Zeiss

E este é provavelmente o grande ponto de interrogação ao redor HMD Globalou a capacidade de investir em pesquisa e desenvolvimento, que sempre foi um marco para a empresa finlandesa. Esse conceito de experimentação contínua que falta hoje em todo o setor de smartphones e que pode realmente representar a chave para poder abrir espaço em uma realidade extremamente saturada e competitiva.

Os n√ļmeros de m√≠dia gravados em Mobile World Congress 2017 indubitavelmente foram encorajadores e representam o primeiro elemento concreto para come√ßar, a fim de permitir Nokia ser capaz de renascer das cinzas.