Motor de pesquisa Netmarketshare

De acordo com o Netmarketshare, Microsoft e Yahoo têm uma participação global de 10,81% e 3,52%, respectivamente, com o Google em 54%!

Eles s√£o os “gateways” para a Internet para milh√Ķes de usu√°rios em todo o mundo, mas tamb√©m uma das principais atividades econ√īmicas para os gigantes da Internet que os desenvolveram ou gerenciaram. O motivo dos mecanismos de busca, nos quais se busca informa√ß√Ķes espec√≠ficas na grande quantidade de dados da rede mundial de computadores, simplesmente digitando as “palavras-chave” apropriadas. Palavras que, por outro lado, os gerentes do “mecanismo de pesquisa” leiloam o n√ļmero de empresas que desejam anunciar produtos relacionados, para que suas entradas apare√ßam ao lado dos resultados da pesquisa.

Essas campanhas publicit√°rias “se traduzem” em bilh√Ķes de lucros para as tr√™s empresas cujos servi√ßos t√™m as maiores propor√ß√Ķes de usu√°rios do mundo – Google, Microsoft e Yahoo, com a √ļltima usando o “mecanismo de pesquisa” do Bing para esse fim. Microsoft Portanto, como o Yahoo, por exemplo, teve receita de US $ 428 milh√Ķes este ano em apenas um trimestre e, mais especificamente, de abril a junho, √© natural que a “guerra” do mecanismo de busca continue inabal√°vel, com uma meta ainda maior. participa√ß√£o de mercado.

Nesta “guerra”, uma das armas s√£o as atualiza√ß√Ķes dos “mecanismos de pesquisa”, com a adi√ß√£o de fun√ß√Ķes que os tornam cada vez mais f√°ceis de usar. Assim, o Google atualizou o aplicativo de pesquisa desenvolvido para iPhone e iPad, facilitando o acesso ao hist√≥rico de pesquisa e a integra√ß√£o de mapas nele, para que voc√™ possa encontrar as dire√ß√Ķes para o destino sem precisar “abrir”. a aplica√ß√£o correspondente a este servi√ßo. Ao mesmo tempo, acelerou a apar√™ncia do site desejado para quem est√° procurando o navegador Chrome para celulares Android, minimizando o tempo necess√°rio para ser exibido a partir do momento em que o usu√°rio o seleciona.

Por outro lado, a Microsoft fez altera√ß√Ķes na vers√£o web do Bing, para que algumas informa√ß√Ķes sejam mais facilmente acess√≠veis pelos usu√°rios. Essas informa√ß√Ķes incluem n√ļmeros de telefone, hor√°rio de funcionamento da loja e instru√ß√Ķes de navega√ß√£o, exibidas em forma de cart√Ķes no topo da lista de resultados, para serem imediatamente vis√≠veis. Remanescente dos cart√Ķes correspondentes que o Google usa, esse modo de exibi√ß√£o espec√≠fico √© usado nas pesquisas de computadores e dispositivos m√≥veis. Al√©m disso, a Microsoft incorporou o “Pulse 2.0” no Bing, uma ferramenta avan√ßada de pesquisa on-line que pode ser usada por qualquer indiv√≠duo ou empresa (por exemplo, esta√ß√£o de TV) para realizar uma pesquisa on-line.

No entanto, se voc√™ considerar apenas os PCs, a Microsoft e o Yahoo ter√£o uma participa√ß√£o global de 10,81% e 3,52%, respectivamente, de acordo com o Netmarketshare. O que significa que eles precisam cobrir o suficiente para se aproximar de 54%, o que corresponde ao “mecanismo de pesquisa” do Google. √Č por isso que a estrat√©gia da Microsoft tamb√©m inclui o uso de outros produtos populares para promover o mecanismo de busca. Isso come√ßou com o lan√ßamento de uma vers√£o mais barata do Windows para fabricantes de PCs e tablets, “Windows 8.1 with Bing”, desde que as m√°quinas sejam vendidas com o “mecanismo de pesquisa” padr√£o no Internet Explorer.

Muito mais recentemente, especificamente em dezembro, come√ßou a usar o Word para o mesmo objetivo, introduzindo inicialmente em sua vers√£o online uma pequena janela de pesquisa, na qual o Bing se compromete a fornecer informa√ß√Ķes sobre as pesquisas que o usu√°rio far√°. Segundo a empresa, desta forma, voc√™ pode encontrar as informa√ß√Ķes necess√°rias sem precisar sair do texto.

Por outro lado, o Yahoo optou por tirar proveito do fato de que, como v√°rias pesquisas demonstraram, uma raramente altera o mecanismo de pesquisa no navegador utilizado, mantendo o selecionado pelos desenvolvedores que desenvolveram o navegador. Ent√£o, ela chegou a um acordo comercial com a Mozilla Foundation, de modo que, nos pr√≥ximos cinco anos, seu pr√≥prio “mecanismo de pesquisa” no navegador Firefox da Funda√ß√£o ser√° padronizado, e n√£o o mecanismo de pesquisa do Google, como era o caso at√© agora.

Na R√ļssia-China

Al√©m do Yahoo, a Mozilla Foundation tamb√©m concordou com as empresas por tr√°s dos mecanismos de pesquisa Yandex e Baidu que os dois “mecanismos de pesquisa” ser√£o pr√©-selecionados nas vers√Ķes russa e chinesa do Firefox, respectivamente.

As duas m√°quinas espec√≠ficas t√™m uma presen√ßa global relativamente desprez√≠vel, mas s√£o extremamente populares localmente. Assim, a participa√ß√£o da Yandex na R√ļssia √© de 82%, enquanto na Bielorr√ļssia e na Ucr√Ęnia 52% e 45%, respectivamente. Por outro lado, o Baidu atualmente se concentra quase exclusivamente no idioma chin√™s, mas possui uma taxa de 81,7% em uma popula√ß√£o de usu√°rios de 513 milh√Ķes.

No entanto, o “mapa de influ√™ncia” planet√°rio de qualquer mecanismo de pesquisa pode mudar nos pr√≥ximos anos, j√° que o “Google chin√™s”, como o Baidu, j√° foi “batizado” pela m√≠dia ocidental, j√° mostrou que sua inten√ß√£o √© expandir al√©m China.

Prova disso √© que, no ver√£o, adquiriu uma filial no Brasil, que lan√ßou o “Busca”, um mecanismo de busca no idioma local.

Ainda segundo a revista New Scientist de Min Jiang, professora da Universidade da Carolina do Norte, seus planos s√£o dar o “presente” em breve √† Indon√©sia e ao norte da √Āfrica.

O paralelo com o Google vem do fato de a empresa chinesa tamb√©m estar investindo em tecnologias que imitam a fun√ß√£o do c√©rebro humano e tornar√° sua m√°quina ainda mais “inteligente”, de modo que, por exemplo, “entenda” a linguagem e os objetos naturais. mostrado em cada imagem. Para esse fim, ele contratou recentemente o professor da Universidade de Stanford, Andrew Ng, que lan√ßou o projeto Google Brain em nome da gigante americana.

Fonte: kathimerini.gr