Mobile Black Market está crescendo na China

mercado negro

Motivados pelo baixo custo de conex├úo e hardware, os criminosos cibern├ęticos na China come├žaram a atacar usu├írios de telefones celulares.

Um funcion├írio s├¬nior de seguran├ža da Trend Micro, Lion Gu, est├í investigando o comportamento atual da atividade clandestina chinesa e observou que os cibercriminosos come├žaram a se adaptar ├á tend├¬ncia da telefonia m├│vel, mesmo que visassem o mercado local.

Em sua pesquisa, verificou-se que existem servi├žos dispon├şveis mesmo para melhorar o ranking de um aplicativo Android. Como n├úo existe uma loja oficial do Google para a China, os usu├írios da plataforma Android baixam o software de terceiros, cujo conte├║do n├úo est├í sujeito a verifica├ž├Áes rigorosas de seguran├ža.

Os cibercriminosos est├úo aproveitando o aumento na classifica├ž├úo de seus aplicativos maliciosos para atrair mais v├ştimas. Isso ├ę conseguido atrav├ęs da cria├ž├úo de contas de usu├írio virtual que s├úo inundadas com feedback positivo sobre esse software espec├şfico. Eles tamb├ęm podem usar essas contas para aumentar o n├║mero de downloads.

Outro m├ętodo seguido pelos cibercriminosos ├ę uma “oportunidade de neg├│cios” para criar aplicativos m├│veis que se inscrevem em um servi├žo premium sem o conhecimento ou consentimento da v├ştima.

Lion Gu tamb├ęm observou que os servi├žos de spam foram criados para aumentar a efici├¬ncia. “Em termos de spam, a maioria dos usu├írios assume que os cibercriminosos est├úo apenas enviando mensagens para todos os n├║meros poss├şveis. Isso n├úo ├ę inteiramente verdade. “Na verdade, os spammers est├úo filtrando n├║meros de telefone que n├úo est├úo sendo usados ÔÇőÔÇőpara economizar tempo e dinheiro”, afirmou ele em um post no blog.

A julgar pelas descobertas do pesquisador, o cibercrime na China n├úo ├ę apenas diferente, mas tamb├ęm bem organizado.

Com base nisso, Lion Gu acredita em um aumento no n├║mero de amea├žas e apresentar├í suas id├ęias na sexta-feira na confer├¬ncia da Associa├ž├úo de Pesquisadores Antiv├şrus da ├üsia (AVAR) em Sydney.