Mercado de smartphones: analistas prevĂȘem uma queda de 19% no primeiro trimestre de 2019

Segundo analistas da Crédito Suiço, a produção global de smartphones cairå 19% no primeiro trimestre de 2019, atingindo os níveis de 2013. Esse é o alarme que foi levantado em uma nota para investidores pelo banco suíço. Não é uma previsão surpreendente. Os primeiros sintomas ocorreram com a Apple e a Samsung, que viram sua receita cair em comparação aos anos anteriores.

O aspecto mais preocupante Ă© que – novamente de acordo com o Credit Suisse – a luz ainda nĂŁo Ă© vista no fundo do tĂșnel e, portanto, pode piorar ano apĂłs ano. Para confirmar isso, hĂĄ precisamente a estimativa que ele fornece produção no primeiro trimestre de apenas 289 milhĂ”es de unidades em todo o mundo, a mesma unidade registrada em 2013, um ano antes do boom no mercado de smartphones.

Para os analistas, 2018 deveria terminar com 357 milhĂ”es de unidades vendidas, ou seja, uma queda de 3% anualmente. As causas podem ser diferentes. Para desempenhar um papel importante, existe – tambĂ©m de acordo com a Apple – a queda nas vendas em um mercado estendido como o chinĂȘs. Pagar os custos nĂŁo serĂĄ apenas o gigante de Cupertino, mas todos os principais fabricantes de dispositivos mĂłveis.

De fato, a queda nas vendas afetaria não apenas a China, mas também outros mercados que parecem saturados por vårias razÔes: falta de inovação, smartphones muito semelhantes, preços altos e tempos de substituição mais longos. De fato, de acordo com um relatório do Pew Research Center de outubro, 95% dos adultos americanos possuem e usam um smartphone.

Isso significa que hĂĄ muito pouco espaço para aumentar as vendas em um mercado em que todos jĂĄ tĂȘm o que estĂĄ sendo proposto. A solução, talvez, poderia ser realmente se concentrar na inovação e na criação de produtos Ășteis e diferentes que atendam Ă s necessidades do usuĂĄrio, tentando – por outro lado – minimizar os custos de produção e os preços de venda que agora atingiram nĂ­veis muito altos.160