Maxi seq√ľestro em Vicenza, a Samsung estava certa

Lembre o mega apreensão de smartphones e tablets Samsung ocorreu em janeiro em 26 lojas na área de Vicenza? Bem, o Tribunal de Milão deu razão ao gigante sul-coreano, negando a tese da empresa Edico srl que alegou uma violação de sua patente.

vicenza2
Vitrines nuas

Exatamente em 18 de janeiro de 2017, um grande n√ļmero de agentes da Guardia di Finanza de Vicenza apreendeu smartphones e tablets Samsung na Mediaworld (Palladio), especialista em viale della Scienza, Interspar na via Mercato Nuovo e Auchan na via Cattane. A transa√ß√£o fez parte da investiga√ß√£o “Patent App”. Na pr√°tica, Edico srl tinha certeza de que a Samsung havia usado um em seus dispositivos tecnologia protegida por sua patente europ√©ia registrada em 2002.

Em particular a interface de volume de √°udio que aparece nas plataformas multim√≠dia ao usar fones de ouvido. O dano alegado teria sido de 60 milh√Ķes de euros a n√≠vel europeu e 10 milh√Ķes de euros na It√°lia.

vicenza3
Vitrine

A apreens√£o de smartphones e tablets foi realizada “a fim de realizar uma avalia√ß√£o que permita definir com maior abrang√™ncia dos elementos as diferentes variantes de falsifica√ß√£o de acordo com o modelo e o tipo de sistema operacional utilizado”.

A Samsung assegurou na √©poca que entraria em contato com “as autoridades civis e criminais competentes para obter a revoga√ß√£o imediata dessas medidas e a recupera√ß√£o de danos materiais e de imagem”.

Ontem, o Presidente da Se√ß√£o Especializada do Tribunal de Mil√£o, dr. Claudio Marangoni, aceitou a tese da Samsung, reconhecendo os produtos da empresa n√£o viola de forma alguma a patente EP ‘693, de propriedade de Edico Srl. Al√©m disso, a pr√≥pria patente expirou.

A Samsung já solicitou o compensação de todos os danos, também de imagem, sofridos.