Linux, Windows e segurança

WebSecurity-e1360139979839 Estamos em 2013, mas o conflito entre as empresas pelo software mais seguro (Linux ou Windows) mantĂ©m-se bem. Um exemplo recente da empresa de segurança Trustwave mostra que as vulnerabilidades do kernel do Linux sĂŁo duas vezes mais lentas para reparar, em comparação com o tempo necessĂĄrio para corrigir erros do Windows. Essa afirmação seria muito mais plausĂ­vel se<
>

nĂŁo veio de um parceiro da Microsoft.

Mas parece que ninguém se incomodou quando foi relatado que as distribuiçÔes Linux haviam negligenciado o reparo de vulnerabilidades de dia zero, mas não haviam calculado o Trustwave. Além disso, se eles fizessem uma pesquisa simples no Google, descobririam que a empresa estå trabalhando com a Microsoft para criar um firewall no Internet Information Server (IIS). De fato, a Trustwave elogia a maneira como funciona com o Security Response Center (MSRC) da Microsoft.

Um pouco mais de pesquisa revelaria que a Trustwave provavelmente tem alguns “rumores” estranhos a seguir. No ano passado, a empresa, que tambĂ©m Ă© uma autoridade de certificação para Secure Socket Layer (SSL), reconheceu que havia vendido um certificado “violado” a uma empresa para monitorar os dados criptografados dos funcionĂĄrios.

VocĂȘ pode reconsiderar a declaração da Trustwave?

Enquanto isso, as distribuiçÔes Linux, que nĂŁo sĂŁo completamente seguras – como nenhum outro sistema operacional do planeta jamais serĂĄ – continuam a ser confiĂĄveis, pois sĂŁo usadas pelos maiores sites do mundo, como Google, Facebook ou Wikipedia, a Bolsa de Nova York e a Bolsa de Londres.

Agora, como hĂĄ dĂ©cadas, as distribuiçÔes Linux permanecem mais seguras que o Windows e ninguĂ©m pode combatĂȘ-lo.