Johnnie Walker Blue est√° ficando mais inteligente

Johnnie Walker

Com a ajuda de eletr√īnicos impressos e a pequena plataforma de produtos inteligentes Internet das Coisas, a grande empresa de bebidas Diageo engarrafa Johnnie Walker Blue Label em garrafas inteligentes.

A empresa inglesa Diageo, √© o maior produtor de bebidas alco√≥licas e propriet√°rio de algumas das marcas de bebidas mais famosas do mundo, incluindo Crown Royal, Smirnoff, Ketel One, Gordon, Tanqueray, Captain Morgan e, claro, Johnnie Walker. Tradi√ß√£o √© sin√īnimo de nome, mas parece o mesmo com inova√ß√£o.

A marca dele Johnnie Walker e sua garrafa distinta √© conhecida em todos os lugares, mas provavelmente √© hora da famosa garrafa mudar de acordo com os destinos da nova era. No Mobile World Congress, em Barcelona, ‚Äč‚Äčem mar√ßo passado, o Diageo e a cooperativa ThinFilm A Electronics recomenda uma “garrafa inteligente” original como marca registrada do seu u√≠sque favorito.

A garrafa Johnnie Walker Blue incorpora um sensor sensor impresso, fabricado com a tecnologia OpenSense da Thinfilm. Tem a capacidade de detectar se cada frasco est√° selado ou n√£o. o OpenSense usa o recurso de comunica√ß√£o de campo pr√≥ximo (NFC) dos smartphones, que permite √† Diageo enviar an√ļncios personalizados aos consumidores que l√™em etiquetas com seus smartphones.

A empresa deseja manter contato com os consumidores mesmo ap√≥s a abertura da garrafa, mas tamb√©m deseja que essa intera√ß√£o seja atendida. Quando a garrafa √© aberta, a comunica√ß√£o n√£o diz mais respeito √† apresenta√ß√£o de informa√ß√Ķes sobre a venda, mas como o consumidor pode aproveitar melhor o produto espec√≠fico.

As empresas com produtos equipados com sensores Thinfilm podem monitorar seus produtos em toda a rede de suprimentos, nas lojas e no ponto de consumo, mantendo as etiquetas legíveis, mesmo que o selo de fábrica esteja quebrado. Esse recurso fornece uma camada adicional de segurança para proteger a autenticidade do produto.

As etiquetas dos sensores consistem em uma antena e um circuito completo listado nelas, diz Matthew Bright, diretor de produto e marketing da Thinfilm. Eles t√™m um ponto sens√≠vel, especialmente projetado para que, quando a garrafa for aberta, ela quebre e transfira as informa√ß√Ķes correspondentes para o circuito.

Cada etiqueta possui um identificador exclusivo codificado pela Thinfilm e, portanto, √© muito dif√≠cil de copiar. Bright tamb√©m observa que o Thinfilm usa identificadores aleat√≥rios e n√£o sequenciais. “Podemos identificar um trilh√£o de produtos por ano, todos os anos, sem precisar usar o mesmo ID pela segunda vez.”

Etiquetas inteligentes também podem ser feitas com sensores de calor e usadas em vacinas para determinar se elas excederam o limite de temperatura definido para uso.

Mas na Diageo, onde tudo tem a ver com bebidas, o rótulo inteligente é apenas a ponta do iceberg. A Diageo diz que fez parceria com a EVRYTHNG, uma empresa de software especializada em Internet das Coisas (IoT), um conceito de objeto inteligente, para conectar produtos de consumo e objetos do cotidiano à Internet.

A EVRYTHNG ajudou a Diageo a criar uma plataforma tecnológica estratégica chamada + More e é executada em sua máquina. + Mais permite a interação digital com fornecedores e agentes com base em como os produtos são criados, vendidos e usados. A Diageo usa a plataforma para uma variedade de aplicativos que permitem acompanhar o progresso dos produtos na rede de suprimentos, mas também para apresentar estatísticas de interação.

Niall Murphy, co-fundador e CEO da EVRYTHNG, diz que a missão final é mais do que apenas a IoT, é sobre a criação da Web of Things.

Quando um objeto se conecta à Internet das Coisas, ele se torna um gerador de dados, explica Murphy.

Isso significa mais ou menos que os produtos de consumo por si s√≥ podem ajud√°-lo a organizar sua rede de suprimentos e informar como eles se saem. Por exemplo, l√Ęmpadas LED em um edif√≠cio podem detectar a quantidade de luz que entra na sala e ajustar sua intensidade de acordo com a economia m√°xima de energia.

[blockquote]”Quando os produtos adquirem intelig√™ncia, o pr√≥prio setor os transforma. Por que, afinal, o que √© um produto? No passado, o termo significava um objeto tang√≠vel. Agora √© uma combina√ß√£o de material, software e dados “.[/blockquote], diz Murphy.