Jap√£o: Restri√ß√Ķes aos estrangeiros que desejam investir em empresas de tecnologia

empresasAp√≥s as restri√ß√Ķes impostas √† Huawei e outras empresas chinesas por v√°rios pa√≠ses por raz√Ķes de seguran√ßa, foi a vez do Jap√£o fazer algo semelhante. Nesse caso, √© claro, as restri√ß√Ķes t√™m a ver com investidores estrangeiros. O governo japon√™s anunciou que impor√° leis mais r√≠gidas, que dever√£o ser seguidas pelos interessados ‚Äč‚Äčem comprar de empresas nacionais de tecnologia e organiza√ß√Ķes de telecomunica√ß√Ķes.

As novas regras entrar√£o em vigor no dia 1¬ļ de agosto e abranger√£o investimentos em 20 setores espec√≠ficos. Os investidores estrangeiros precisar√£o entrar em contato com o governo japon√™s e obter permiss√£o especial se quiserem comprar uma empresa japonesa que faz parte dessas ind√ļstrias.

A aprova√ß√£o do governo √© necess√°ria nos casos em que os investidores desejam comprar 10% (ou mais) de uma empresa. Se o governo considerar que qualquer um desses investimentos pode ser perigoso para o pa√≠s, n√£o ser√° aprovado. O governo japon√™s chamou o investimento de “amea√ßa √† seguran√ßa nacional”.

Os ministros japoneses disseram que havia muitos perigos no ciberespa√ßo hoje em dia. Por esse motivo, o governo decidiu tomar algumas medidas para evitar qualquer coisa que pudesse p√īr em risco a seguran√ßa do pa√≠s. Uma das medidas diz respeito √† prote√ß√£o das empresas de tecnologia, raz√£o pela qual o Jap√£o decidiu ser mais rigoroso com o investimento estrangeiro.

As ind√ļstrias, inclu√≠das nas novas regras, s√£o empresas de telecomunica√ß√Ķes, construtoras e fabricantes de celulares.

Essas regras n√£o s√£o novas no Jap√£o. No passado, impunha restri√ß√Ķes a investidores estrangeiros interessados ‚Äč‚Äčem fazer compras em √°reas como aeronaves, equipamentos nucleares e armas.

No entanto, ainda n√£o se sabe se as restri√ß√Ķes afetar√£o investidores de pa√≠ses espec√≠ficos e se ser√° necess√°ria permiss√£o para empresas espec√≠ficas nos setores de tecnologia e telecomunica√ß√Ķes.

Alguns dias atr√°s, o governo dos EUA imp√īs algumas restri√ß√Ķes comerciais √†s empresas americanas. Ele os proibiu de comprar, instalar ou usar equipamentos de outros pa√≠ses. Ele tamb√©m colocou a Huawei na lista de entidades e exige que as empresas solicitem uma licen√ßa para trabalhar com a empresa chinesa.

A Huawei, é claro, reagiu dizendo que a iniciativa dos Estados Unidos teria um sério impacto nos mercados internacionais, perturbaria as cadeias de suprimentos globais e prejudicaria a concorrência legítima.