IPhones vai cheirar, graças a um novo chip

iphone55 Em um a dois anos, o propriet√°rio de um smartphone da Apple poder√° usar o telefone para verificar se o vinho est√° azedo ou se o h√°lito est√° ruim.

√Č isso que a empresa americana Adamant Technologies promete, que est√° desenvolvendo um chip para iPhones que ser√° capaz de detectar e “entender” uma grande variedade de odores. <‚Ķ>

tanto quanto o cachorro.

Criar um “nariz eletr√īnico” n√£o √© uma tarefa f√°cil, como evidenciado pelos dispositivos correspondentes que outras empresas ou institutos de pesquisa constru√≠ram at√© agora. Embora bastante sens√≠veis, todos esses dispositivos detectam um tipo de odor – por exemplo, os baf√īmetros medem exclusivamente a concentra√ß√£o de √°lcool na respira√ß√£o. Assim, eles n√£o podem ser comparados ao cheiro humano, gra√ßas ao qual se pode, p. para entender que no mesmo local √© assado, por exemplo ao mesmo tempo, uma pista e um bolo de chocolate.

Mas, de acordo com a Adamant Technologies, seu chip excede em muito as capacidades do cheiro humano. Isso ocorre porque, se nosso nariz cont√©m 400 “sensores” que permitem capturar e analisar compostos qu√≠micos do ar, para o mesmo objetivo, o circuito eletr√īnico usa 2.000 sensores. Assim, √© sens√≠vel a aproximadamente tantos odores quanto o c√£o pode detectar.

A empresa começará a produção em massa do chip em alguns meses, em uma unidade industrial no Texas. O próximo passo será desenvolver aplicativos para o sistema operacional do iPhone, cada um dos quais utilizará o cheiro do chip para uma finalidade específica Рpor exemplo, esse aplicativo controlará o mau hálito. A Adamant estima que os testes de hardware e software serão concluídos em dois anos, no máximo, para que seu produto possa ser lançado no mercado.

Em sua forma comercial, o produto ter√° a forma de um pequeno acess√≥rio que ser√° conectado ao iPhone e n√£o custar√° mais de US $ 100. Al√©m do mau h√°lito, a empresa afirma que alguns dos primeiros usos do acess√≥rio ser√£o medir o √°lcool na respira√ß√£o, mas tamb√©m monitorar doen√ßas que criam uma “assinatura qu√≠mica” caracter√≠stica na respira√ß√£o.

Fonte: portal.kathimerini.gr