iPhone X é o iPhone mais frágil de todos os tempos, dizem testes

EU’iPhone X Est√° dispon√≠vel h√° alguns dias, mas obviamente j√° catalisou a aten√ß√£o de profissionais e conquistou consumidores, a julgar pelas filas em frente √†s lojas da Apple. O melafonino de 10 anos de idade introduziu, sem d√ļvida, v√°rias inova√ß√Ķes dr√°sticas para o mundo da Apple, mas aparentemente nem tudo o que brilha √© ouro. De acordo com os testes realizados nos laborat√≥rios de Com√©rcio quadrado e postado em um v√≠deo no YouTube, o novo iPhone X seria at√© o mais fr√°gil de todos os iPhones j√° produzidos.

A empresa americana, para chegar a uma avalia√ß√£o objetiva com os mesmos par√Ęmetros para todos os dispositivos das principais marcas testadas, utiliza ferramentas e m√°quinas projetadas especificamente para reproduzir as situa√ß√Ķes da vida cotidiana de maior risco.

Aqui est√£o os resultados obtidos pelo iPhone X:

Queda frontal

Ao cair de uma altura de 180 cm, o iPhone X quebrou: a tela estava inutiliz√°vel e o reconhecimento facial n√£o respondeu mais.

Queda lateral e traseira

Da mesma altura, a queda acidental e um impacto nas laterais ou nas bordas causavam danos apenas marginalmente externamente, mas muito graves dentro do telefone com a tela que n√£o respondia mais aos comandos. No impacto com o painel traseiro, no entanto, o iPhone X usado no teste quebrou, apresentando rachaduras e lascas de vidro que dificultavam a espera do telefone.

iccemhkicfenbnke

Teste de imers√£o

Boa resist√™ncia √† √°gua. Como o iPhone 8 e 8 Plus, a imers√£o em 1,5 metros de √°gua por trinta minutos resultou em apenas alguns dist√ļrbios no √°udio.

Teste de tiro

Milhares de pessoas esquecem o telefone no teto do carro. O teste de tiro simula uma queda nessa situação no laboratório. O iPhone X mostrou-se vulnerável em vários tipos de quedas, com os maiores danos registrados no reconhecimento facial e na função de inicialização da tela inicial que parou de funcionar.

Como curiosidade, notamos que nas mesmas horas o famoso youtuber JerryRigEverything ele submeteu o mesmo smartphone ao teste de tortura habitual, chegando a conclus√Ķes completamente diferentes.

Se, de fato, o vidro usado para o revestimento dianteiro e traseiro provou ser tão resistente quanto o usado por muitas outras faixas superiores atuais, a tela resistiu quase 30 segundos à chama antes de ficar danificado, enquanto o corpo era tão resistente ao teste de flexão que nem revelou as bordas da tela, garantindo também a manutenção da impermeabilização. Em quem você mais acredita, um conjunto de testes científicos ou empíricos?


Tom’s Recommend

De qualquer forma, é melhor proteger o iPhone X com uma boa capa, como esta da ESR, por exemplo.