Huawei: queda de 40-60% nas vendas após a proibição nos EUA

A exclusão da Huawei dos Estados Unidos é um problema que preocupa todo o planeta há pelo menos 15 dias. As empresas não estão mais cooperando com a Huawei, a China está preparando uma lista negra da Apple e pode parar de fornecer materiais para os Estados Unidos. A ARM decidiu inicialmente parar de trabalhar com a gigante chinesa um pouco mais tarde, mas seu co-fundador alegou que o bloqueio era prejudicial para a indústria americana. Dois grandes gigantes da tecnologia, Google e Facebook, assumiram a liderança, com o primeiro alegando que o bloqueio era perigoso para os Estados Unidos e o segundo impedindo que ele tivesse um aplicativo pré-instalado em seus dispositivos.

Além disso, os executivos de marketing e vendas da Huawei em todo o mundo acreditam que a empresa experimentará uma queda significativa nas vendas após a exclusão do presidente dos EUA, Donald Trump. Segundo especialistas, esse declínio será entre 40 e 60% em todo o mundo.

A demanda em diferentes países será monitorada com frequência, para que as remessas possam ser ajustadas de acordo. Além disso, o Honor será forçado a monitorar a demanda e as vendas para interromper o lançamento do Honor 20 antes mesmo de ser distribuído em mais países.

Para compensar o declínio nas vendas, a Huawei terá como alvo o mercado chinês, e o executivo-chefe da empresa disse que a proibição nos EUA terá pouco efeito sobre seu crescimento.