Huawei, nova confirmação: empresas americanas podem voltar a vender, mas sob algumas condições

A trégua entre os Estados Unidos e a China está começando a mostrar seus primeiros resultados. O ministro Wilbur Ross confirmou – em uma conferência do Departamento de Comércio – o que o presidente Trump disse por ocasião do G20 em Osaka. As empresas dos EUA podem voltar a fazer negócios com a Huawei, mas somente se eles obtiverem uma licença do governo dos Estados Unidos.

As empresas precisam solicitar concessão do governo, mostrando que a tecnologia que eles estão vendendo para o fabricante chinês não representa um risco à segurança nacional. Apesar dessa abertura, a Huawei continuará fazendo parte da Lista de Entidades, na qual foi incluída como acusada de atividades de espionagem em favor dos serviços secretos chineses.

Os pedidos de licença serão examinados com base em presunção de recusa segundo o qual a empresa dos EUA não pode retomar as relações com a Huawei até que seja demonstrada a natureza não perigosa da tecnologia que planeja vender. Mais uma vez, não está claro se o Google poderá novamente disponibilizar seu sistema operacional Android nos smartphones da Huawei.

No entanto, este é um novo sinal positivo para o gigante de Shenzhen, apesar de – imediatamente após o G20 de Osaka – o Departamento de Comércio intervir para esclarecer que não é uma anistia geral é aquele “tudo o que acontecerá é que o Departamento concederá algumas licenças adicionais em caso de disponibilidade geral “. Declarações alinhadas com as últimas declarações do Ministro Ross.

Em suma, a situação parece estar a caminho da resolução. Apenas precisamos ver quais empresas americanas serão licenciadas e, acima de tudo, entender se o Google estará entre elas. Caso contrário, o fabricante chinês será forçado a use seu sistema operacional HongMeng que – segundo o CEO da Huawei – poderia ser mais rápido que o Android.