Huawei Mate 30: mais poder e autonomia graças ao Kirin 985?

A Huawei poderia usar litografia ultravioleta extrema (EUV) em seu próximo processador Kirin 985. Essa nova tecnologia usa a luz para posicionar transientes e outros componentes com mais precisão em uma pastilha de silicone. Isso levará a um aumento de 20% na densidade transitória, o que resultará em aumento de energia através do menor consumo de energia.

O primeiro smartphone a usar litografia ultravioleta extrema poderia ser o futuro Huawei Mate 30, que poderia estrear com o pr√≥ximo Kirin 985. Este √ļltimo, de fato, provavelmente ser√° o precursor da nova tecnologia e ser√° fabricado pela TSMC que – entre outras coisas – foi a primeira a distribuir os processadores com um processo de produ√ß√£o na 7 nm (A12 Bionic e Kirin 980).

A transi√ß√£o de 10 nm para 7 nm j√° levou a um aumento da densidade transit√≥ria, pot√™ncia eefici√™ncia energ√©tica para os smartphones de √ļltima gera√ß√£o. Com a introdu√ß√£o do EUV, os pr√≥ximos chips tornar√£o os dispositivos que os integram ainda mais r√°pido e poder√£o garantir uma vida √ļtil da bateria mais longa.

No entanto, n√£o √© com os processadores de 7 nm que a litografia ultravioleta extrema mostrar√° todo o seu potencial, mas o far√° com gera√ß√Ķes subsequentes feitas a 5 nm. Em suma, a nova tecnologia poderia resolver um dos problemas que domina o mundo dos smartphones: garantir mais energia sem afetar a vida √ļtil da bateria. Huawei deve lan√ßar o Kirin 985 em meados de 2019, bem a tempo de ser integrado √† pr√≥xima linha Mate 30.