Huawei e Honor, truques nos benchmarks? A resposta oficial

O índice de referência nem sempre verdadeiro é um tópico extremamente importante no campo dos smartphones. No passado, outras empresas foram acusadas dessas práticas, e desta vez é a vez da Huawei e Honor. A questão foi levantada pela conhecida revista Anandtech, que fez um longo relatório a partir de algumas inconsistências encontradas em testes de dispositivos como P20, P20 Pro, Mate 10.

Embora a linha P20 esteja equipada com a mesma GPU que a Mate 10 (com a mesma frequ√™ncia), o √ļltimo acaba obtendo pontua√ß√Ķes mais altas nos benchmarks gr√°ficos do que nos dois primeiros. Segundo Anandtech, o problema estaria no software da Huawei, capaz de ativar uma esp√©cie de modo “turbo” na presen√ßa de certos aplicativos.

Huawei P20 Series Colors Imagem em destaque

Isso permite que o chip alcance pontua√ß√Ķes mais altas nos benchmarks, mas √†s custas da dissipa√ß√£o de calor, autonomia e efici√™ncia do processador. Em particular, no teste GFXBench T-Rex, passaria de 66,54 para 127,36 fps dependendo se esse modo “turbo” est√° ativo ou n√£o, com consumo de energia praticamente dobrado (de 4,39 e 8,57 watts em m√©dia).

Leia também: Revisão do Huawei P20 Pro

As inconsistências em questão também surgiriam durante os testes do Honor Play, smartphone apresentado na IFA em Berlim 2018 e sobre o qual conversamos em nossa prévia. Nesse momento, a Anandtech relatou o assunto a Wang Chenglu, presidente da divisão de software da Huawei, que durante a feira alemã teria admitido parcialmente essa prática.

Captura de tela 2018 09 07 em 16 47 37
Imagem de crédito: Anadtech

N√£o h√° d√ļvida de que um bom resultado nos par√Ęmetros de refer√™ncia pode ser uma ajuda, embora marginal, no marketing. Precisamente na l√≥gica de maior transpar√™ncia, a Huawei prometeu que, no futuro, todas as pontua√ß√Ķes relatadas nas campanhas publicit√°rias ser√£o mencionadas somente depois de confirmado por um terceiro independente. Mas isso n√£o √© tudo.

De fato, a empresa chinesa decidiu intervir também através de uma nota oficial. A Huawei explicou como, em seus smartphones, a inteligência artificial é usada para otimizar o desempenho de componentes de hardware que incluem CPU, GPU e NPU. Isso significa que quando mais energia é necessária, o software prepara o hardware para entregá-lo, enquanto gerencia a temperatura e a eficiência energética.

huawei 720

Portanto, quando um aplicativo est√° sendo executado como refer√™ncia, aqui o sistema ativa esse “Modo Performance”. No entanto, a Huawei parece integrada para permitir que os usu√°rios acessem este modo, a fim de melhorar a experi√™ncia di√°ria do usu√°rio. Em resumo, como sempre nesses casos, a quest√£o n√£o √© f√°cil de avaliar.

Leia também: Huawei Kirin 980 é oficial, a terra de 7 nm em smartphones

No entanto, tudo isso enfatiza a falta de um padrão em relação aos benchmarks, que pode representar o ponto de partida comum a qualquer dispositivo para uma análise objetiva dos resultados. Quem sabe, este caso definitivamente moverá as águas nessa direção.


Tom’s Recommend

Xiaomi Redmi 5 Plus é um smartphone caracterizado por uma excelente relação custo / benefício. Equipado com o Snapdragon 625, juntamente com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento, está disponível para compra na Amazon menos de 200 euros. Você pode encontrá-lo neste link.