Huawei Balong 5000, aqui est√° o modem 5G da empresa chinesa: 4,6 Gbps em download!

Durante um evento em Pequim realizado em seu Centro de P&D, Huawei anunciou o Balong 5000, o novo modem 5G da empresa chinesa. Tecnicamente, o chip permanece como concorrente direto do Snapdragon X50 da Qualcomm, com o qual n√£o houve falta de compara√ß√Ķes durante a apresenta√ß√£o. A empresa liderada por Richard Yu est√°, portanto, pronta para ser uma protagonista do mercado que ser√° aberta pela difus√£o em larga escala do novo padr√£o de rede.

Antes de tudo, partimos do desempenho em sentido estrito, dados que parecem extremamente importantes quando comparados ao chip da Qualcomm. O Balong 5000 pode de fato atingir 4,6 Gbps em download e 2,5 Gbps em upload, contra os 2,3 / 1,25 Gbps do Snapdragon X50, praticamente o dobro. Além disso, a solução da Huawei suporta simultaneamente 2G, 3G, 4G e 5G, todos no mesmo modem, sem nenhum problema dimensional relacionado à integração em dispositivos móveis.

Além disso Рesse também é um ponto positivo em comparação com o Snapdragon X50 Рhá suporte para mmWave, com 6,5 Gbps no downlink e 3,5 Gbps no uplink. Isso permitirá cobrir o espectro 5G de maneira mais homogênea, graças à possibilidade de dissociar as frequências de upload e download. Um aspecto técnico que trará uma série de vantagens concretas no uso diário do novo padrão de rede.

Tudo sem esquecer o processo de produ√ß√£o de 7nm. J√° vimos no campo dos smartphones, apenas com o SoC Kirin 980 da mesma Huawei (mas tamb√©m com o A12 Bionic da Apple), as vantagens trazidas em termos de economia de energia abaixo de 10 nm e considerando como o 5G √© evidentemente pensado Para interagir com dispositivos ‚Äúsempre ativos‚ÄĚ al√©m de apenas telefones celulares, √© evidente que a possibilidade de um menor impacto do modem na bateria pode fazer a diferen√ßa.

A Huawei tamb√©m apontou que √© o primeiro chipset multimodal do mundo a suportar simultaneamente arquiteturas de rede aut√īnomas (SA) e n√£o aut√īnomas (NSA), com vantagens claras em termos de compatibilidade e potencial difus√£o no mercado. No primeiro caso, o Balong 5000 usar√° uma arquitetura independente; no segundo, redes 4G LTE herdadas. Em resumo, um modem potencialmente capaz de atender de maneira flex√≠vel √†s diferentes necessidades dos usu√°rios e, principalmente, das operadoras.

O Balong 5000 abrir√° um novo mundo para os consumidores“Disse o CEO do Huawei Consumer Business Group, Richard Yu. ‚ÄúIsso permitir√° que os consumidores acessem redes de alta velocidade em todo o mundo mais livremente e possam desfrutar de uma experi√™ncia de usu√°rio de alto n√≠vel, tamb√©m gra√ßas a um ecossistema completo que inclui chips, dispositivos, servi√ßos em nuvem e rede. Em suma, tudo o que √© necess√°rio para nos impor como l√≠deres da era 5G ‚ÄĚ.

Precisamente, o conceito de ecossistema est√° na base da estrat√©gia da Huawei para o novo padr√£o de rede. O Balong 5000 √© de fato capaz de interagir com o protocolo V2X, que permite a troca de dados semo setor automobil√≠stico. Considerando como √© um modem e n√£o um sistema no chip, fica claro como a inten√ß√£o da empresa chinesa √© prop√ī-lo a setores fora dos eletr√īnicos de consumo no sentido estrito.

Não é de surpreender que a primeira solução mostrada com o Balong 5000 integrado seja um ponto de acesso chamado 5G CPE Pro, uma evolução da vista em Barcelona. A sensação é de que já nas próximas semanas, dada a chegada iminente do Mobile World Congress, outros dispositivos poderão ser anunciados, principalmente em relação aos parceiros com os quais a Huawei assinará (e assinou) acordos. A era 5G ganhou vida oficialmente.