Huawei antes da Apple e Samsung: em maio é o primeiro fabricante de smartphones do mundo

Pelo segundo m√™s consecutivo Huawei ultrapassou Samsung e Apple na batalha entre fabricantes de smartphones. O gigante chin√™s, apesar de ter voltado da forte proibi√ß√£o do governo Trump, confirmou-se como o primeiro fabricante de smartphones do mundo nos dados divulgados nas √ļltimas horas pela Counterpoint Research. A pr√≥pria Huawei confirmou a ultrapassagem hist√≥rica em abril contra a Samsung, e a empresa manteve sua posi√ß√£o em maio.

Por muito tempo líder em vendas globais de smartphones, a Samsung não conseguiu recuperar o cetro no mês passado, apesar de conseguir diminuir um pouco a diferença. Com o 19,7% de partes de mercado A Huawei assumiu a primeira posição no mês passado, seguida pela Samsung com 19,6% e pela Apple, mais distante, com 13%. Abaixo, encontramos a Oppo, Xiaomi e Vivo, praticamente ex aequo com uma participação de mercado de 8% para cada uma das empresas chinesas.

Vendas de smartphones foram em maio cerca de 82 milh√Ķes, de acordo com os dados do Counterpoint, com uma leve recupera√ß√£o da Samsung. Se a diferen√ßa entre as duas marcas em maio fosse de apenas 0,1 ponto percentual, em abril a Huawei poderia contar com uma dist√Ęncia de quase 2%. A Samsung se beneficiou de uma forte aumento nas vendas nos Estados Unidos (+ 56%), um pa√≠s que pesa muito, considerando que representa cerca de um ter√ßo das vendas de smartphones no mundo.

Ninguém esperava resultados semelhantes da Huawei após a proibição

Ningu√©m esperava resultados semelhantes da Huawei ap√≥s a proibi√ß√£o, no entanto, a gigante chinesa conseguiu tirar vantagem do per√≠odo ap√≥s o bloqueio, devido ao novo coronav√≠rus, que impactou v√°rios mercados em todo o mundo. A demanda por smartphones caiu drasticamente em alguns pa√≠ses, mas o chin√™s ‚Äď em que a Huawei conta muito ‚Äď se recuperou um pouco mais cedo do que os ocidentais. Esse fator poderia ter contribuiu para o sucesso recente da empresa.

Portanto, vale a pena acrescentar que a Huawei está obtendo sucesso em seu país de origem, enquanto em outras partes do mundo as quotas de mercado estão diminuindo devido à falta de serviços móveis do Google. A empresa está trabalhando duro para produzir umalternativa aos serviços do Google por meio dos serviços móveis da Huawei e da loja AppGallery, que crescem hiperbolicamente de mês para mês.

Além disso, a empresa pode achar difícil fabricar chips para os próximos smartphones. Até agora, ele conseguiu contar com Kirins, desenvolvido em casa, mas produzido ativamente pela TSMC. Em setembro, saberemos se será capaz de continuar depois de 2020, enquanto a empresa parece estar se preparando para o pior: de acordo com alguns rumores, estaria considerando colaborar com a MediaTek para a série P50, programada para estrear no primeiro semestre de 2021.